24 de outubro de 2012

INTELIGÊNCIA X INSTINTO


Inteligência X Instinto 
Há tempos eu quero escrever sobre este assunto, mas me faltou inspiração. Vamos ver se sai alguma coisa interessante…

Primeiro precisamos definir as coisas.

Instinto: Impulso espontâneo independente de reflexão. Tendência, aptidão inata.
Inteligência: Conjunto de todas as faculdades intelectuais (memória, imaginação, juízo, raciocínio, abstração e concepção).

Se você não conseguiu ver nenhuma relação entre as duas palavras, pode me dar a mão para formarmos uma grande corrente dos que também não viram… rsrsrs.

Mas estas duas palavras possuem algo em comum e que a definição pura não mostra. Juro que vou tentar ser o mais suscinto possível (e claro ao mesmo tempo).

O instinto é a inteligência animal. É a inteligência que os animais possuem para fazer algo coerente e pertinente à circunstância do momento. Podemos dizer que o instinto é o ensaio da inteligência pois só se apresenta se corretamente estimulado. Exemplos? Vários (muitos). Pise no rabo de um cachorro e seu instinto o fará lhe atacar. Agiu por instinto ao ser atacado.

A inteligência consiste no domínio do instinto. A mesma inteligência nos recomenda não reagir a um assalto (por exemplo) pois o risco de morte é alto, embora estejamos tremendo de raiva por dentro e numa vontade imensa de dominar o assaltante (dominar foi uma palavra boazinha para expressar a nossa real vontade num momento destes). É óbvio que a inteligência é muito mais do que isto que eu escrevi, mas para o propósito da comparação com o instinto o que eu escrevi é o básico e necessário.

Já que definimos bem uma coisa e outra é hora de refletirmos um pouquinho.

Quando devemos usar o instinto e quando devemos usar a inteligência?

Meu pai diz uma frase que eu considero apropriada (e que nunca me esqueço): Se atacarmos um animal ele revida o ataque. Deus nos deu inteligência para agirmos diferente!

Não estou dizendo aqui que o instinto é totalmente ruim. Ainda dependemos dele em muitas situações. Um dos mais importantes instintos que temos é o de conservação. Usando o instinto de conservação nos mantemos longe dos perigos. Comumente o chamamos de medo! Mas quando algo nos parece estranho ou amedrontador este instinto se encarrega de nos colocar longe daquilo que classificamos como perigo. É útil, pois se não o tivéssemos com certeza nos arriscaríamos muito e desnecessariamente. Deixaríamos de tomar precauções.

O paralelo que quero traçar aqui (que é o verdadeiro objetivo deste texto) é propor uma identificação clara de quando usamos o instinto quando (na verdade) caberia usar a inteligência (ou razão).

Se alguém nos ofende imediatamente devolvemos a ofensa. Assemelhamos, desta forma, ao animal que reage negativamente ao ataque.

É interessante tentar mapear onde agimos por puro instinto, com a velha desculpa: Fiz sem pensar!

Por Marcelo Torres

Um comentário:

  1. Maravilhoso texto!! Acredito que aos poucos, conforme vamos evoluindo, o instinto vai diminuindo e dando então lugar à inteligência.

    Beijinhos!♥

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

MEDITAÇÃO DA LUZ DOURADA

MEDITAÇÃO DA LUZ DOURADA
Deve-se estar sentado confortável com a coluna vertebral bem direita. Começamos por inspirar profundamente pelo nariz e expiramos pela boca. Visualizamos a inspiração em energia branca e pura e a expiração levando todas as toxinas e energias negativas em névoas negras. Seguidamente concentramo-nos na energia do universo, das estrelas, dos planetas e focalizamo-nos em inspirar essa energia, preenchendo-nos completamente com ela. Sentimos o nosso corpo envolvido e preenchido com essa energia de paz e amor universal. Mantemos esta sensação durante cerca de dois minutos e depois, lentamente, pensamos somente em inspirar paz. Pensamos na paz e concentramo-nos na respiração desse sentimento, um sentimento de paz. Quando expiramos, enviamos paz também para o universo, preenchendo-o. Fazer esta respiração durante cerca de dois minutos e está-se pronto para a Meditação da Luz Dourada. Visualizamos de seguida, que inspiramos uma luz dourada. Sentimo-la a entrar para os nossos pulmões e a espalhar-se por todo o nosso corpo. Fazêmo-lo nove vezes. Passamos a respirar regularmente pelo nariz. Depois, começamos a visualizar uma linha dourada desde a base da espinha até ao topo da cabeça. Visualizamos essa linha dourada da grossura de um fio de electricidade. Fazêmo-lo nove vezes. Visualizamos então a grossura do fio dourado a aumentar lentamente até atingir a grossura de um lápis. Sentimos a luz dourada desde a ponta da espinha até ao topo da cabeça. Novamente sentimos a expansão da grossura da luz dourada até atingir a grossura de um dedo a fluir desde o topo da cabeça até à base da espinha. Agora, sentimos a luz a expandir-se para uma coluna de luz dourada que flui desde a base da espinha até o topo da cabeça. Visualizamos esta bela coluna de luz dourada a expandir-se lentamente até nos envolver completamente todo o corpo. Ficamos a sentir, pacificamente, essa luz dourada a envolver-nos. Agora, lentamente visualizamos a coluna de luz que nos envolve, a transformar-se num grande ovo de luz dourada que nos envolve completamente. Sentimos a sua paz e também a sua protecção. Tudo o que está dentro desse ovo cintila de energia, alimenta a nossa aura de energia e fortalece-a. Ficamos durante cerca de dois minutos sentindo-nos envolvidos por esse ovo de luz dourada. Depois, começamos a visualizar o encolhimento do ovo dourado. Primeiro sentindo-o voltar à forma de coluna, e depois lentamente sentimo-la encolher até à base da espinha e ao topo da cabeça. Depois sentimo-la a encolher lentamente até ficar do tamanho de um dedo, depois de um lápis, e finalmente, da grossura dum único fio dourado. Agora, sentimos a energia desse fio dourado a fluir desde a base da espinha até ao topo da cabeça e focalizamo-nos no ponto de intersecção das linhas do terceiro olho e do topo da cabeça. Respiramos por nove vezes, sentindo a energia da luz dourada nesse local da cabeça e depois, deixamos a energia fluir de novo para a boca, estômago, baixo abdómen, deixando-a dissolver-se aí lentamente. Respiramos fundo mais umas quantas vezes e sentimos toda a paz e protecção que essa luz dourada nos proporcionou. Sentimos que podemos fazer esse exercício sempre que quisermos, envolver-nos nessa luz dourada e fortalecer a nossa aura com a sua protecção e energia.

Seguidores

Follow by Email

“O que for a profundeza do teu ser, assim será teu desejo.

O que for o teu desejo, assim será tua vontade.

O que for a tua vontade, assim serão teus atos.

O que forem teus atos, assim será teu destino.”

Brihadaranyaka Upanishad

Transforme-se em ti mesmo e descubra quem você é.

Transforme-se em ti mesmo e descubra quem você é.
Seja LUZ !!!

DEIXE A TUA LUZ BRILHAR

DEIXE A TUA LUZ BRILHAR
Desperte para a regeneração da alma e do próprio corpo físico, começando por se desintoxicar daquilo que desequilibra a tua saúde física. Depure e purifique teus pensamentos, olhando mais para o Sol da verdade, do que para as nuvens da ignorância. Quem se faz luz não teme a escuridão, nem nevoeiros passageiros. Sabe que tudo que não for essencialmente divino, passa e se transmuta. Sendo assim, transmute-se!