5 de dezembro de 2016

SUPER LUA, CHUVA DE METEOROS E OUTROS EVENTOS NO CÉU DE DEZ/2016













Dezembro trará de volta chuvas de meteoros, Super Lua, alinhamentos e diversas outras razões para você olhar para o céu durante a noite. Hoje listamos todas as oportunidades que você terá para ver os diversos espetáculos que o céu de dezembro nos proporcionará. Não perca.

03 de dezembro: Lua e Vênus

Entre meia hora e uma hora após o por do sol, a lua estará no céu. Um ponto branco – o planeta Vênus – brilhará no cerca de sete graus abaixo da lua, criando um belo alinhamento visível a olho nu.

Lua e Marte: 04 de dezembro

Ao anoitecer, a Lua se posicionará ao lado de Marte. Os dois objetos estarão a aproximadamente 3 graus de distância – o equivalente a cerca de seis discos lunares.










13 de dezembro: Chuva de meteoros geminídeas

A chuva de meteoros geminídea atingirá seu pico de atividade na noite do dia 13 de dezembro. Esta chuva é conhecida por ter uma taxa de 60 a 120 meteoros por hora no seu dia de pico. Ela também é esperada nos dias anteriores e após a data.





14 de dezembro: Super Lua

Definição de Super Lua: Fala-se em Super Lua sempre que o instante de Lua Cheia ocorre quando a Lua está a uma distância da Terra inferior a 110% do perigeu da sua órbita. Em termos temporais, isto significa que a diferença entre os instantes de Lua Cheia e do perigeu é menor do que 1 dia e 8 horas. Segundo esta definição é possível ocorrer uma Super Lua frequentemente, mas nem todas terão o mesmo tamanho e brilho aparentes.
Em 2016 todas as Luas Cheias, que ocorreram nos dias 16 de outubro, 14 de novembro e a próxima será 14 de dezembro. Todas consideradas Super Luas
Em 14 de dezembro a lua atingirá seu ponto mais próximo da Terra em seu ciclo mensal: aproximadamente 358 mil quilômetros.

















Observa-se nesta tabela abaixo que as distâncias do perigeu e apogeu não são constantes e que em 2016 o perigeu mais próximo foi 14 de novembro. A lua nesse dia esteve mais exuberante por atingir a distância mínima da Terra em fase de Lua Cheia. 












21 de dezembro: solstício de inverno

No dia 21 teremos o dia mais longo do ano para o hemisfério sul e o dia mais longo para o hemisfério norte.

22 de dezembro: chuva de meteoros ursídeas
Na madrugada do dia 22 de dezembro, a América poderá ver o pico da chuva de meteoros ursídea. Assim como acontece com todas as chuvas de meteoros, ela recebe este nome por parecer irradiar de uma determinada constelação no céu – no caso, a Ursa Menor. Localizando a constelação, é fácil encontrar a chuva de meteoros.
Ela tem uma média de 10 a 15 meteoros por hora, mas em raras ocasiões, pode ultrapassar os 30 meteoros a cada hora.






3 de outubro de 2016

MINISTRO DO IRAQUE DIZ QUE SUMÉRIOS ERAM ASTRONAUTAS

O ministro dos Transportes iraquiano Kazem Finjan fez essa semana uma declaração muito séria numa conferencia de imprensa em Dhi Qar, no sul do país. Disse que os antigos sumérios inventaram a viagem espacial (no Iraque) há 7.000 anos atrás, acrescentando também que havia um centro para a exploração do cosmos e foram os sumérios que nos relataram Plutão.

Finjan pede aos céticos de plantão que estudem mais e conheçam as obras dos especialistas sumérios, como o pesquisador russo Samuel Kramer.

Samuel Kramer é um cientista que analisa a mitologia deste povo antigo e as suas ideias sobre o nosso sistema solar. Kramer morreu de câncer em a Estados Unidos em 1990 e publicou numerosos trabalhos.

Abaixo deixo links de seus livros para seu deleite.

Hayder al-Khoei, pesquisador do Centro de Estudos xiitas Acadêmicos, juntamente com um vídeo da conferência de imprensa postou no Twitter:

"momento estranho e acho que ninguém teve a coragem de contradizê-lo".

Muitas ruínas antigas são encontrados em Dhi Qar, como as cidades sumérias de Eridu e Ur, a casa de antigo templo Zigurate de Ur, que foi escavada na década de 1930 e desde então foi parcialmente restaurada no governo Sadann Hussein.

"O primeiro aeroporto que foi estabelecida no planeta Terra foi neste lugar", disse Finjan, indicando a cidade que cerca as provincias Nasiriyah em Dhi Qar, 370 quilômetros a sudeste da capital Bagd .

O ministro iraquiano foi além, afirmando que os anjos "eram todos sumerianos" e "naves espaciais" sumérias foram lançadas a partir daqui para os outros planetas."

Já deu pra notar que Yuri Gagarin dançou nessa história...

Este não é o primeiro "alerta" científico feito por políticos seniores e membros do gabinete iraquiano. No ano passado, atual Ministro do Exterior iraquiano, Ibrahim Al-Ja'afari insistiu que a fonte para dois principais rios do Iraque, o Tigre e o Eufrates,fluiu do Irã e não a partir de Turquia.

Uma coisa é certa; eles sabem mais do que contam. Alienados são os que duvidam, ridicularizam sem investigar, pesquisar para contestar essa afirmações.

Já vimos que basear indiscutivelmente em “verdades” descritas por meia dúzia de acadêmicos do século passado não nos trará boas referencias. A investigação precisa ser feita hoje, agora e com investimento que supere a descrença em mitos e lendas da nossa história.

Há muito que analisar, confrontar e expor para essa atual civilização enganada. Que cada um faça bom uso dessas informações para crescer como seres em franca evolução desejando a liberdade de suas almas do próximo ciclo.

laura botelho
(...)

Os sumérios, as pessoas pragmáticas e talentosas que precederam os semitas na terra inicialmente conhecidos como Sumérios e mais tarde como Babilônios, criaram o que foi, provavelmente, a primeira grande civilização na história do homem. Este livro é um compêndio sem igual do que se sabe sobre eles.

Professor Kramer comunica o seu entusiasmo para o assunto descrevendo suas cidades, religião, literatura, educação, realizações científicas, estrutura social e psicologia. Finalmente, ele considera um legado dos Sumérios para o mundo antigo e moderno.

"Há poucos estudiosos no mundo qualificado para escrever um livro, e certamente Kramer é um deles.... Uma das características mais valiosas deste livro é a quantidade de textos e fragmentos que são publicados pela primeira vez em um formulário disponível para o leitor em geral. para o leigo o livro oferece uma leitura fácil e up-to-date introdução a uma cultura mais fascinante. para o especialista apresenta uma síntese com a qual ele pode não concordar, mas a partir do qual ele irá, no entanto, obter estimulação. "- American Journal of Archaeology

1. Arqueologia e Decifração
2. História: Heróis, reis
3. Sociedade: O sumeriana Cidade
4. Religião: Teologia, Rito e Mito
5. Literatura: A sumeriana Belles-Lettres
6. Educação: O sumeriana Escola
7. Character: Drives, motivações e valores
8. O legado dos Sumérios
Bibliografia selecionada
Index


Leia mais no link abaixo:

Ministro do Iraque diz que Sumérios eram astronautas

18 de julho de 2016

HACKER INVADIU A NASA

Conheça o hacker que invadiu computadores da NASA e descobriu um programa espacial secreto dos Estados Unidos. Gary Mckinnon diz ter visto uma foto de alta resolução de um OVNI do tipo charuto, gigantesco, na órbita da Terra.

No entanto ele diz algo ainda mais incrível, Mckinnon alega ter visto uma lista de dados do exército estadunidense indicando recursos espaciais que os EUA tem em órbita, incluindo naves americanas e oficiais não-terrestres, isso mesmo, oficiais ETs.

Uma planilha de Excel foi encontrada por ele, com o título de: “Oficiais não-terrestres” e tinha nomes e cargos. Uma verdadeira parceria com alienígenas, com naves e armamentos super secretos.


25 de maio de 2016

O SEGREDO DO CÉREBRO: CONSCIENTE E SUBCONSCIENTE

Você já se perguntou porquê de vez em quando você pensa uma coisa e acaba fazendo outra? Se você quer entender as razões disso acontecer te convido a conhecer um pouquinho do mais intrigante órgão do corpo humano, o seu cérebro.

Esse complexo agrupamento de dezenas de bilhões de neurônios dentro da sua cabeça controla o seu corpo físico e sua memória, mas o que destacarei aqui é a sua operação em duas faixas distintas de atuação, estamos falando da mente consciente da mentesubconsciente. Você já parou pra pensar sobre as diferenças entre as duas? Quais seriam suas funções? Qual é a influência de cada uma delas na sua vida?


Mente consciente e subconsciente: a chave para entender o cérebro.

Veja só que interessante. De forma bem suscinta, basicamente podemos afirmar que a sua mente consciente possui quatro funções:
Adquirir informações: você adquire informações por meio dos seus sentidos naturais (audição, visão, tato, olfato e paladar). A informação, portanto, pode ser um som, uma imagem, um gesto, um toque, um gosto estranho, uma notícia etc. Tudo aquilo que você está assimilando por meio dos seus cinco sentidos é uma informação.
Comparação: a nova informação que você adquiriu será automaticamente comparada com o banco de dados existente no seusubconsciente;
Análise: a informação recebida será quebrada em partes menores e então analisada em detalhe;
Avaliar respostas: é a sua consciência que irá determinar que tipo de resposta ou ação será adotada em decorrência dessa informação.

Ainda na primeira infância a mente consciente entra em atividade e sua tarefa principal é executar as funções lógicas acima apresentadas. Na medida em que crescemos a mente consciente irá nos ajudar a tomar decisões que se adequem ao banco de dados do seu subconsciente.

Já que seu cérebro é um computador, você alguma vez parou pra pensar quais são osprogramas instalados no seu subconsciente?

Hábitos: todos os seus hábitos, bons ou ruins, estão armazenados no seu subconsciente;
Emoções: o seu subconsciente sempre resgatará emoções quando o gatilho dessa emoção for acionado por um evento, uma lembrança ou experiência;
Memória de longo prazo: a sua mente subconsciente registra com perfeição todos os eventos, mas você não consegue acessar a essa informação pela via consciente.
Personalidade: é com base nas suas experiências combinadas com suas reações às informações, desde a infância até a fase adulta, que o subconsciente constrói sua personalidade.
Intuição: você já sentiu que alguma coisa boa ou ruim estava para ocorrer e de fato ocorreu e até hoje você não entende como antecipou aquilo? Pois então, na verdade sua mente consciente não consegue gerenciar todas as informações adquiridas pelos seus cinco sentidos. Por isso sua mente subconsciente irá enviar recados para sua mente consciente quando necessário. A intuição geralmente se manifesta em forma de uma reação física, sonho, ou sensação.
Criatividade: é a habilidade de transformar sonhos, ideias, visões e pensamentos em realidade. A sua mente subconsciente trabalha constantemente para alcançar aquilo que está programado em nós, seja positivo ou negativo (Um livro que mostra muito bem a importância do subconsciente na conquista de objetivos na vida é Quem Pensa Enriquece).
Percepção: Tudo que você assimila à sua volta passa pelo filtro da sua percepção, que é modulada pelos seus padrões de análise desenvolvidos ao longo da sua vida.
Crenças e Valores: Se a crença é aquilo que você acredita estar de acordo com sua experiência, conhecimento e esperança, seus valores são as coisas que são realmente relevantes na sua vida. Quando nos deparamos com uma situação importante, tanto a crença quanto os valores serão moldados pela nossa percepção.

Quanto a esses dois atributos da nossa mente, caso queira entender melhor a questão, recomendo a leitura de Rápido e Devagar e Você Não é Tão Esperto Quanto Pensa.

O poder do subconsciente.

Agora que você já vislumbrou o funcionamento do seu cérebro, da sua mente e das influências do consciente e subconsciente sobre seu comportamento, podemos ainda acrescentar que:

1 – A sua mente subconsciente trabalha 100% do tempo e sempre está operando os programas instalados.

2 – O seu subconsciente aceita qualquer coisa que nele for programado pela mente consciente. Por isso é muito importante tomar cuidado ao trabalhar com o subconsciente. Essa parte do seu cérebro não exerce qualquer juízo de valor. Portanto, não é o seu subconsciente que irá dizer se algo é certo ou errado, bom ou ruim, real ou imaginário, possível ou impossível. Mas, uma vez programado no seu subconsciente, suas condutas tenderão a agir conforme a programação.

3 – Especialistas concluíram que, apesar das duas mentes atuarem de forma complementar uma a outra, no comportamento humano a mente consciente responde por 12% das ações. Já a mente subconsciente é responsável por 88% das condutas. Ou seja, quando houver algum conflito entre seu consciente e subconsciente, quem você acha que irá ganhar?

Referência

15 de fevereiro de 2016

ONDAS GRAVITACIONAIS


Há 100 anos, Albert Einstein previu a existência de ondas gravitacionais como parte de sua Teoria Geral da Relatividade.

Durante décadas, os cientistas vinham tentando, sem êxito, detectar essas ondas – fundamentais para "tentar" entender as leis que regem no Universo.


Isso até esta última quinta-feira (11/02)- um dia que já vem sendo considerado histórico, já que um grupo de cientistas de vários países anunciou ter conseguido detectar pela primeira vez as chamadas ondas gravitacionais.


O que exatamente são ondas gravitacionais?


Segundo a teoria de Einstein, todos os corpos em movimento emitem essas ondas que, como uma pedrinha que afeta a água quando toca nela, produz perturbações no espaço.


A Teoria da Relatividade de Einstein é um pilar da física moderna que transformou nosso entendimento do espaço, do tempo e da gravidade. E por meio delas entendemos muitas coisas: da expansão do Universo até o movimento dos planetas e a existências dos buracos negros.


Essas ondas gravitacionais são basicamente feixes de energia que distorcem o tecido do espaço-tempo, o conjunto de quatro dimensões formado por tempo e espaço tridimensional.


Assim, qualquer massa em movimento produz ondulações nesse tecido tempo-espaço. ATÉ NÓS MESMOS.


A descoberta das ondas gravitacionais representa os primeiros passos nos estudos do espectro das ondas de gravidade, que existem independentemente da luz, examinando diretamente os efeitos da gravidade, uma vez que ela se espalha por todo o cosmos.


E Einstein previu que o Universo estava inundado por essas ondas. Esse efeito, no entanto, é muito fraco, e apenas grandes massas, movendo-se sob fortes acelerações, podem produzir essas ondulações em um grau razoável.


Assim, quanto maior essa massa, maior é o movimento e maior são as ondas. Nessa categoria entram explosões de estrelas gigantes, a colisão de estrelas mortas superdensas e a junção de buraco negros. Todos esses eventos devem radiar energia gravitacional na velocidade da luz.


Os pesquisadores trabalhavam há anos para detectar as minúsculas distorções causadas quando as ondas gravitacionais passam pela Terra. Os detectores nos Estados Unidos – localizados no Ligo – e na Itália (conhecido como Virgo) são ambos formados por dois túneis idênticos em forma de L, de 3 km de largura.




Nele, um feixe de laser é gerado e dividido em dois – uma metade é disparada em um túnel, e a outra entra pela segunda passagem.


Espelhos ao final dos dois túneis rebatem os feixes para lá e para cá muitas vezes, antes que se recombinem. Se uma onda passa pelo túnel, ela vai distorcer levemente seu entorno, mudando a longitude dos túneis em uma quantidade diminuta (apenas uma fração da largura de um átomo).


E a forma com que as ondas se movem pelo espaço significa que um túnel se estira e outro se encolhe, o que fará com que um raio laser viaje uma distância levemente maior, enquanto o outro fará uma viagem mais curta.


Como resultado, os raios divididos se recombinam de uma maneira diferente: as ondas de luz interferem entre si, em vez de se cancelarem. Essa observação direta abre uma nova janela para o cosmos, uma janela que não seria possível sem Einstein.


E qual a implicação disso?


Os objetos também emitem essas perturbações que acabaram de ser detectadas, mas a partir de agora os físicos poderão olhar os objetos com as ondas eletromagnéticas e escutá-los com as gravitacionais.


“Agora, o que se tem são sentidos diferentes e complementares, para estudar as mesmas fontes. E com isso, podemos extrair muito mais informações”, disse à BBC Mundo, Alicia Sintes, do departamento de física do Instituto de Estudos Espaciais da Catalunha, na Espanha, que participou do projeto.


“Não estamos falando de expandir um pouco mais o espectro eletromagnético, mas de um espectro totalmente novo.”


A especialista afirma que as ondas eletromagnéticas dão informações do Universo quando ele tinha 300 mil anos de idade.


“Já com as ondas gravitacionais, pode-se ver as (ondas) que foram emitidas quando o Universo tinha apenas um segundo de idade.”


É isso que será possível estudar a partir de agora.


Outro impacto diz respeito aos buracos negros: nosso conhecimento sobre a existência deles é, na verdade, bastante indireto. A influência gravitacional nos buracos negros é tão grande que nem a luz escapa de sua força. Mas não podemos ver isso em telescópios, só pela luz da matéria sendo partida ou acelerada à medida que chega muito perto de um buraco negro.


Já as ondas gravitacionais são um sinal que vem desses objetos e carrega informações sobre eles. Nesse sentido, pode-se até dizer que a recente descoberta significa a primeira detecção direta dos buracos negros.



[A teoria geral da relatividade, criada por Einstein, explica como a gravidade opera em grandes dimensões, em estrelas e galáxias.

Já a mecânica quântica explica como as leis da Física operam no extremo oposto, nas subpartículas atômicas.



Durante várias décadas, essas duas teorias só funcionavam nos próprios campos, o pequeno e o grande. Quando cientistas tentavam juntá-las - o que é indispensável, por exemplo, para entender o que se passa no centro de um buraco negro -, as equações se estilhaçavam.

AS SUPERCORDAS surgiram como uma nova e fundamental entidade, a base para tudo o que existe no Universo. Já faz algum tempo que conhecemos os átomos e também as partículas_subatômicas, como os elétrons, que giram ao redor dos núcleos, e os prótons, que integram o núcleo dos átomos. Conhecemos também algumas partículas subnucleares, como os quarks, que habitam os nêutrons e prótons. Mas é aí que o conhecimento convencional empaca. A teoria das supercordas diz que existe algo menor e mais fundamental: dentro dos quarks, da mais ínfima partícula subatômica, existe um filamento de energia que vibra como as cordas de um violino. E são os diferentes padrões de vibração dessas cordas que determinam a natureza de diferentes tipos de subpartículas. Isso permitiria unificar a teoria geral da relatividade com a mecânica quântica.]


Qual o efeito causado por essas ondas na Terra?


Quando as ondas gravitacionais passam pela Terra, o tempo-espaço que nosso planeta ocupa deve se alternar entre se esticar e se comprimir.


Pense em um par de meias: quando você as puxa repetidas vezes, elas se alongam e ficam mais estreitas.


Os interferêmetros do Ligo, aparelhos usados para medir ângulos e distâncias aproveitando a interferência de ondas eletromagnéticas, vêm buscando esse estiramento e compressão por mais de uma década.


A expectativa era a de que ele detectaria distúrbios menores do que uma fração da largura de um próton, a partícula que compõe o núcleo de todos os átomos.

Qual pode ser o impacto dessa descoberta?





A teoria da Relatividade descreve o Universo muito bem em escalas amplas. Mas, para domínios menores, temos de recorrer a outras teorias.


Assim, não há uma quantificação da Teoria da Gravidade. Para chegarmos lá, temos de investigar lugares com gravidade extrema: os buracos negros.


É lá que rotas para explicações mais complexas podem ser encontradas, nos desvios que as ondas gravitacionais mostraram.



O que são buracos negros?
Numa abordagem da física clássica, buracos negros são objetos celestes com massa muito grande - alguns deles com centenas de vezes a massa do Sol - que ocupam um espaço muito pequeno. Seu campo gravitacional é tão intenso que nem mesmo a velocidade da luz é maior do que a sua velocidade de escape. Com isto, a luz que entra em um buraco negro não pode mais sair, fazendo com que este não possa ser observado pelas técnicas usuais que analisam a luz emitida ou refletida pelos objetos celestes.




E o que é velocidade de escape?


Chamamos de velocidade de escape aquela cuja intensidade é suficiente para que um objeto possa “escapar” da atuação do campo gravitacional. A velocidade de escape na superfície de Terra é de aproximadamente 11,2 km/s; para que um objeto possa se libertar da atuação da gravidade de nosso planeta, precisa ser lançado com velocidade maior que esta.



Se um buraco negro não pode ser visto, como ele é detectado?


A observação de um buraco negro acontece de forma indireta, pois o que se pode ver são os efeitos que ele causa nas regiões próximas. Devido o seu imenso campo gravitacional, os outros corpos tendem a ser atraídos por ele. Medindo a velocidade com que os objetos se deslocam em sua direção nas regiões vizinhas é possível descobrir sua massa.


Quando um buraco negro absorve matéria dos corpos que estão próximos, esta matéria vai sendo comprimida, esquenta significativamente e emite grande quantidade de radiação em raios-X. As primeiras detecções dos buracos negros foram feitas com sensores que captavam esta emissão de raio-X.
Já foram observados fortes indícios de que existam buracos negros supermassivos no centro de algumas galáxias espirais, inclusive alguns cientistas acreditam que exista um destes buracos negros no centro de nossa galáxia, a Via Láctea.

Para percebermos a natureza destes objetos, é necessário compreender então, os tipo de buracos negros.


Os buracos negros super-maciços,(quazares), ao contrário dos buracos negros estelares (que se podem formar, juntamente com as estrelas de neutrões, após a morte de uma estrela de massa superior a 3 massas solares), têm origem nos primórdios do Universo, de uma forma ainda não muito consensual, quando um movimento caótico de matéria formou regiões de maior densidade. A origem destes buracos negros pode ser semelhante à origem das galáxias.

Existem duas hipóteses para explicar sua existência. A mais aceita afirma que são buracos negros gigantes, presentes no centro de galáxias.

 Acredita-se também que os buracos negros mais próximos já tenham sido quasares e estariam escuros porque o material que os envolvia e alimentava escasseou. Uma outra tese diz que os quasares seriam uma alta concentração de estrelas de massa enorme – 15 a 20 vezes maior que a do o Sol –, explodindo na freqüência de uma por semana.




Quazar
O nome “quasar” – uma abreviação de “fonte de rádio quase estelar” em inglês. é um objeto astronômico distante e poderosamente energético com um núcleo galáctico ativo, de tamanho maior que o de uma estrela, porém menor do que o mínimo para ser considerado uma galáxia. Quasares foram primeiramente identificados como fontes de energia eletromagnética (incluindo ondas de rádio e luz visível) com alto desvio para o vermelho (redshift), que eram puntiformes e semelhantes a estrelas, em vez de fontes extensas semelhantes a galáxias. Essa descoberta sugere que os quasares – os núcleos brilhantes das galáxias ativas – podem frequentemente sediar dois buracos negros supermassivos centrais que giram um ao redor do outro, como resultado da fusão entre duas galáxias. Como um par de patinadores, a dupla de buracos negros gera enormes quantidades de energia, o que faz com que o núcleo da galáxia hospedeira ofusque o brilho da população de bilhões de estrelas da galáxia. São os maiores emissores de energia do Universo. Um único quasar emite entre 100 e 1000 vezes mais luz que uma galáxia inteira com cem bilhões de estrelas.


Acredita-se que a energia dos quasares resulte da acreção de material em buracos negros supermassivos no núcleo de galáxias distantes, tornando-os uma versão luminosa de uma classe mais geral de objetos conhecidos como galáxias ativas. Como a luz não pode escapar do buraco negro supermassivo no centro dos quasares, a energia que escapa está sendo gerada do lado de fora do horizonte de eventos pelo estress gravitacional e intensa fricção no material que está caindo. Enormes massas centrais (106 a 109 massas Solares) foram medidas em quasares usando mapeamento de reverberação. Várias dezenas de galáxias próximas, que não apresentam sinais de um núcleo quasar, apresentam sinais de um buraco negro central semelhante em seus núcleos, por isto acredita-se que todas as galáxias maiores contém um, mas somente uma pequena fração emite radiação poderosa e são vistas como quasares. A matéria que está acrescendo ao buraco negro não cai diretamente, mas tem algum momento angular, em sua maioria, que fará com que se concentre em um disco de acreção. Os quasares também podem ser disparados ou re-disparados em galáxias normais quando elas fundem com uma nova fonte de matéria. Há uma teoria de que um quasar possa ser formado quando a galáxia Andrômeda colidir com nossa Via Láctea, em aproximadamente 3 a 5 bilhões de anos

No entanto, este sugar de matéria não é um processo instantâneo, nenhuma estrela é “engolida inteira”. A matéria e as estrelas começam a ser puxados como “fios de esparguete” e formam um círculo espiral em torno do buraco negro. Este disco de acreção vai percorrendo o caminho em torno do buraco negro até terminar definitivamente no seu interior. Este disco de acreção, gira a grandes velocidades, fazendo com que a sua temperatura seja superior às temperaturas das estrelas mais quentes do Universo, emitindo também raios X e outras formas de radiação electromagnética –  a origem do intenso brilho destes buracos negros

Além disso, a densidade deste disco de acreção é tão forte, que a radiação não consegue escapar naturalmente. Assim, é formado um feixe ao longo do eixo do disco, onde as partículas subatômicas são aceleradas e formam um enormíssimo jacto de matéria que se pode estender a milhares de anos luz de comprimento. Em torno do disco de acreção forma-se também um anel de poeira, a que se chama toróide, aquecido pela emissão de microondas provenientes do disco de acreção. O toróide, por sua vez, reemite esta radiação em comprimentos de onda mais elevados.


O quasar que parece ser mais brilhante no céu é 3C 273, na constelação de Virgem. Ele tem uma magnitude aparente de 12,8 (brilhante o suficiente para ser visível através de um telescópio médio, mas tem uma magnitude absoluta de -26,7. De uma distância de 33 anos luz, este objeto brilharia no céu tanto quanto nosso Sol. A luminosidade deste quasar é, portanto, cerca de 2 bilhões de vezes mais brilhante que nosso Sol, ou cerca de 100 vezes o total da luminosidade de uma galáxia gigante média como a nossa Via Láctea. Entretanto, este valor assume que o quasar esteja emitindo energia em todas as direções. Um núcleo galático ativo pode ser associado com um jato poderoso de matéria e energia, não precisa estar irradiando em todas as direções. Em um Universo contendo centenas de bilhões de galáxias, a maior parte delas já teve um núcleo ativo bilhões de anos atrás e devem ser vistas localizadas a bilhões de anos luz de distância, é estatisticamente certo que milhares de jatos de energia estão apontados para nós, alguns mais diretamente que outros. Em muitos casos pode ser que quanto mais brilhante o quasar, mais diretamente seu jato está apontado para nós.


O quasar hiper luminoso APM 08279+5255 , quando foi descoberto em 1998, uma magnitude absoluta de -32,2, apesar da imagem de alta resolução do Hubble Space Telescope e do Telescópio Keck de 10 m revelarem que o sistema sofreu os efeitos de uma lente gravitacional. Um estudo da lente gravitacional neste sistema sugere que ele foi ampliado por um fator próximo a 10. Ele ainda é muito mais luminoso que os quasares próximos, como 3C 273.




Outra descoberta na galáxia Markarian 231 na constelação da Ursa Maior. O nome estranho deve-se ao fato de ser a número 231 num catálogo de galáxias com excesso de emissão de radiação ultravioleta, compilado pelo astrônomo armênio Benjamin Markarian, na década de 60 do século passado. Sabe-se hoje que estas galáxias contêm quasares nos seus núcleos e que são extremamente luminosas. Um quasar é composto por um buraco negro super-maciço (com milhões ou mesmo milhares de milhões de massas solares) e a sua região circundante, normalmente localizado no núcleo de uma galáxia. Quando um quasar está ativo, provoca a emissão de radiação muito energética como raios gama, raios-X e os raios ultravioleta observados por Markarian.

A análise dos dados permitiu determinar que o buraco negro central da Markarian 231, o dominante do sistema binário, tem cerca de 150 milhões de massas solares. O outro, presumivelmente o buraco negro central da galáxia canibalizada pela Markarian 231, tem cerca de 4 milhões de massas solares (sensivelmente a massa do buraco negro central da nossa galáxia). Os dois completam uma órbita em torno do centro de gravidade comum em apenas 1.2 anos. Dois corpos tão maciços, tão próximos e movendo-se tão rapidamente dissipam grande quantidade de energia sob a forma de ondas gravitacionais, com o consequente decaimento orbital — os buracos negros estão gradualmente a cair para o centro de gravidade do sistema. Ainda que os quasares estejam a milhares de milhões de anos luz de nós, significa que vemos algo que aconteceu há milhares de milhões de anos atrás. Um quasar, pode muito bem ser uma galáxia em formação, uma visão dos primórdios do nosso Universo, bem diferente do que conhecemos hoje. Mas mesmo com todos esses fatos, eles dissipam grande quantidade de energia sob a forma de ondas gravitacionais.  Isso que é preciso estudar e entender.



Referência :

5 de fevereiro de 2016

UNIVERSOS PARALELOS E O FENÔMENO DÉJA VU - UMA CONEXÃO MISTERIOSA

É possível que universos paralelos e o fenômeno Déjà Vu estejam misteriosamente ligados?

A maioria de nós ter tido, pelo menos uma vez em nossa vida uma experiência de ‘déjà vu’, aquela sensação misteriosa onde o tempo parece passar em câmera lenta, onde você percebe a informação de tal forma como se você já tivesse experimentado a situação atual em algum momento no passado distante.

Variando de distúrbios paranormais e distúrbios neurológicos, os pesquisadores têm tentado explicar o fenômeno misterioso ao longo de décadas, mas ninguém foi capaz de entender completamente como podemos viver o fenômeno ‘déjà vu’ tão estupidamente.

‘Déjà vu’, o que origina das línguas francesa e significa “já visto” é uma ocorrência bastante comum que sabemos muito pouco. Quando você vir a experimentar um momento ‘déjà vu’ você sente misteriosamente ultrapassado por uma força misteriosa que inconscientemente lhe diz ‘isso já aconteceu antes’.

O fenômeno ‘déjà vu’ é relatado que ocorre de forma ocasional em 60-80% das pessoas em todo o mundo. É uma experiência quase sempre transitória e ocorre aleatoriamente.

Muitos pesquisadores propõem que o fenômeno é uma experiência baseada na memória e assumem que os centros de memória do cérebro são responsáveis pelo fenômeno ‘déjà vu’. No entanto, há aqueles que associam o fenômeno ‘déjà vu’ com profecias, experiências de vidas passadas ou memórias, clarividência, ou uma placa de sinalização mística que poderia indicar um sentido de realização de uma condição ‘pré-determinado’ na vida.

Uma experiência Déjà vu ocorre rapidamente, sem aviso prévio e não tem nenhuma manifestação física para além do anúncio: “Eu apenas tive um déjà vu”.

Mas se todos os itens acima não podem explicar esse sentimento misterioso que quase todos experiencia uma vez na vida, então o que pode?

Há alguns que têm ligado o fenômeno ‘déjà vu’ com a existência de universos paralelos.
Universos paralelos? Mas …  eles existem?

Bem, na verdade, os cientistas podem ter descoberto um outro universo sentado ao lado de nossa própria. De acordo com os astrônomos, luz manchado no espaço exterior poderia ter “derramado através de” de outro universo muito próximo ao nosso. As manchas brilhantes poderia ser, de fato, sobras de outro universo que começou nas imediações do nosso próprio de acordo com o estudo científico. Os cientistas acreditam que eles realmente podem dar uma espiada em um caso o referido universo começou perto o suficiente para o nosso universo, assim que os dois foram capazes de “toque” que então deixar uma assinatura visível em nosso universo. A fim de encontrar essas assinaturas, os cientistas compararam um mapa da radiação cósmica de fundo (que são, basicamente, sobras de início do universo) com uma imagem de todo o céu feita pelo telescópio Planck da Agência Espacial Europeia. O que eles descobriram depois que os pesquisadores esquerda hipnotizado. Depois de terem subtraído um do outro, eles viram uma estranha mancha de luz no céu, uma mancha de luz que poderia ser explicado como sendo os restos de colisões com outros universos.
Mas pode um universo paralelo explicar uma experiência de ‘déjà vu’?



De acordo com Dr. Michio Kaku, um futurólogo americano, físico teórico e divulgador da ciência, universos paralelos podem explicar o fenômeno misterioso e afirma que a física quântica realmente fornecr os detalhes necessários que sugerem que déjà vu pode ser provocado por sua capacidade de “virar entre diferentes universos “.

A idéia de que existem outros universos (teoria do multiverso) tem sido apoiado por vários cientistas, entre eles o professor Steve Weinberg, um físico teórico e ganhador do Prêmio Nobel. De acordo com o Professor Weinberg, é possível que na mesma sala um número infinito de realidades paralelas coexistem com a gente.

“O Prêmio Nobel Steven Weinberg compara essa teoria universo múltiplo de rádio. Tudo ao seu redor, existem centenas de diferentes ondas de rádio a ser transmitida a partir de estações distantes. Em um determinado instante, o seu fi ce de carro ou de estar ou sala está cheia dessas ondas de rádio. No entanto, se você ligar um rádio, você pode ouvir apenas uma freqüência de cada vez; estes têm frequências decohered e já não estão em fase uns com os outros. Cada estação tem uma energia diferente, uma frequência diferente. Como resultado, o rádio só pode ser ligado a uma transmissão de cada vez. Da mesma forma, em nosso universo, estamos “sintonizado” para a freqüência que corresponde à realidade física. Mas há um número infinito de realidades paralelas convivendo com a gente na mesma sala, embora não possamos “sintonizar”-los. Embora estes mundos são muito parecidos, cada um tem uma energia diferente. E porque cada mundo é composto de trilhões de trilhões de átomos, isto significa que a diferença de energia pode ser bastante grande. Uma vez que a frequência destas ondas é proporcional à sua energia (por lei de Planck), isto significa que as ondas de cada mundo vibram a frequências diferentes e não pode interagir mais. Para todos os efeitos, as ondas desses vários mundos não interagem ou influenciam uns aos outros. “- Michi kaku, Parallel Words: A Journey Through, Dimensões Superiores, e o Futuro do Cosmos.

Tudo isso significa que é bem possível que, no exato momento em que você experimentou um “déjà vu”, você está de fato ‘vibrando em uníssono “com outro, universo paralelo no cosm
os.

Referência

6 de janeiro de 2016

QUATRO NOVOS ELEMENTOS NA TABELA PERIÓDICA

A União Internacional de Química Pura e Aplicada (IUPAC, na sigla em inglês) confirmou a descoberta dos elementos 113, 115, 117 e 118, que agora conquistaram lugares permanentes na tabela periódica.

Esses elementos não são encontrados na natureza – são sintéticos e só podem ser produzidos em laboratório.

Como decaem em questão de segundos, sua existência tem sido extremamente difícil de confirmar. Até o momento, eles tinham nomes, símbolos e lugares temporários na sétima linha da tabela periódica, porque os cientistas não tinham conseguido criá-los mais do que apenas uma vez.

113, 115 (Veja aqui: EXISTÊNCIA DO NOVO ELEMENTO 115 CONFIRMADO POR PESQUISADORES) , 117 e 118 podem respirar aliviados, no entanto. Depois de analisar provas suficientes, a IUPAC decidiu que eles merecem uma cadeira cativa na tabela.
Novos nomes

A equipe de Kosuke Morita, do Instituto RIKEN, no Japão, foi creditada com a descoberta do elemento 113, o que significa que eles ganharam os direitos de nomeação também. Até agora, o elemento era conhecido por seu nome temporário, unúntrio, e pelo símbolo temporário Uut.

Os três elementos restantes, 115, 117 e 118, foram confirmados por uma equipe de pesquisadores americanos e russos, que serão convidados a propor nomes e símbolos permanentes. Eles eram temporariamente conhecidos como ununpêntio (Uup), ununséptio (Uus) e ununóctio (Uuo).

Enquanto relatórios sobre a confirmação dos elementos 115, 117 e 118 ainda precisam ser publicados, detalhes da descoberta do elemento 113 foram relatados na revista científica Journal of Physical Society of Japan.

De acordo com a IUPAC, os novos elementos podem ser nomeados após um conceito mitológico, um mineral, um lugar ou país, uma propriedade ou um cientista, e serão apresentados para análise do público cinco meses antes de uma decisão final sobre suas designações oficiais.

A confirmação do 113

Em 2003, os pesquisadores começaram a bombardear uma fina camada de bismuto com íons de zinco viajando a cerca de 10% da velocidade da luz. Segundo a teoria, a reação deveria produzir ocasionalmente um átomo do elemento 113.

Em 2004 e 2005, a equipe viu sinais de dúbnio-262 (elemento 105), que se acredita ser o produto de decaimento do elemento 113, mas isso não foi prova suficiente da sua existência.

Então, o grupo realizou um novo experimento, no qual um feixe de sódio colidiu com um alvo de cúrio, criando bóhrio-266 e dúbnio-262. Com esta demonstração, uma reivindicação mais forte foi estabelecida. Os pesquisadores só precisavam esperar para ver um átomo decair através da cadeia alfa, ao invés de fissão espontânea.

Não foi até 2012 que a equipe conseguiu isso, e levou mais quase quatro anos para a IUPAC analisar a literatura científica e confirmar os critérios para a descoberta de elementos.

“Agora que temos demonstrado conclusivamente a existência de elemento 113”, disse Morita, “pretendemos olhar para o território inexplorado do elemento 119 e além, com o objetivo de examinar as propriedades químicas dos elementos nas sétima e oitava linhas da tabela periódica, e um dia descobrir a Ilha de Estabilidade”

Referência
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

MEDITAÇÃO DA LUZ DOURADA

MEDITAÇÃO DA LUZ DOURADA
Deve-se estar sentado confortável com a coluna vertebral bem direita. Começamos por inspirar profundamente pelo nariz e expiramos pela boca. Visualizamos a inspiração em energia branca e pura e a expiração levando todas as toxinas e energias negativas em névoas negras. Seguidamente concentramo-nos na energia do universo, das estrelas, dos planetas e focalizamo-nos em inspirar essa energia, preenchendo-nos completamente com ela. Sentimos o nosso corpo envolvido e preenchido com essa energia de paz e amor universal. Mantemos esta sensação durante cerca de dois minutos e depois, lentamente, pensamos somente em inspirar paz. Pensamos na paz e concentramo-nos na respiração desse sentimento, um sentimento de paz. Quando expiramos, enviamos paz também para o universo, preenchendo-o. Fazer esta respiração durante cerca de dois minutos e está-se pronto para a Meditação da Luz Dourada. Visualizamos de seguida, que inspiramos uma luz dourada. Sentimo-la a entrar para os nossos pulmões e a espalhar-se por todo o nosso corpo. Fazêmo-lo nove vezes. Passamos a respirar regularmente pelo nariz. Depois, começamos a visualizar uma linha dourada desde a base da espinha até ao topo da cabeça. Visualizamos essa linha dourada da grossura de um fio de electricidade. Fazêmo-lo nove vezes. Visualizamos então a grossura do fio dourado a aumentar lentamente até atingir a grossura de um lápis. Sentimos a luz dourada desde a ponta da espinha até ao topo da cabeça. Novamente sentimos a expansão da grossura da luz dourada até atingir a grossura de um dedo a fluir desde o topo da cabeça até à base da espinha. Agora, sentimos a luz a expandir-se para uma coluna de luz dourada que flui desde a base da espinha até o topo da cabeça. Visualizamos esta bela coluna de luz dourada a expandir-se lentamente até nos envolver completamente todo o corpo. Ficamos a sentir, pacificamente, essa luz dourada a envolver-nos. Agora, lentamente visualizamos a coluna de luz que nos envolve, a transformar-se num grande ovo de luz dourada que nos envolve completamente. Sentimos a sua paz e também a sua protecção. Tudo o que está dentro desse ovo cintila de energia, alimenta a nossa aura de energia e fortalece-a. Ficamos durante cerca de dois minutos sentindo-nos envolvidos por esse ovo de luz dourada. Depois, começamos a visualizar o encolhimento do ovo dourado. Primeiro sentindo-o voltar à forma de coluna, e depois lentamente sentimo-la encolher até à base da espinha e ao topo da cabeça. Depois sentimo-la a encolher lentamente até ficar do tamanho de um dedo, depois de um lápis, e finalmente, da grossura dum único fio dourado. Agora, sentimos a energia desse fio dourado a fluir desde a base da espinha até ao topo da cabeça e focalizamo-nos no ponto de intersecção das linhas do terceiro olho e do topo da cabeça. Respiramos por nove vezes, sentindo a energia da luz dourada nesse local da cabeça e depois, deixamos a energia fluir de novo para a boca, estômago, baixo abdómen, deixando-a dissolver-se aí lentamente. Respiramos fundo mais umas quantas vezes e sentimos toda a paz e protecção que essa luz dourada nos proporcionou. Sentimos que podemos fazer esse exercício sempre que quisermos, envolver-nos nessa luz dourada e fortalecer a nossa aura com a sua protecção e energia.

Seguidores

Follow by Email

“O que for a profundeza do teu ser, assim será teu desejo.

O que for o teu desejo, assim será tua vontade.

O que for a tua vontade, assim serão teus atos.

O que forem teus atos, assim será teu destino.”

Brihadaranyaka Upanishad

Transforme-se em ti mesmo e descubra quem você é.

Transforme-se em ti mesmo e descubra quem você é.
Seja LUZ !!!

DEIXE A TUA LUZ BRILHAR

DEIXE A TUA LUZ BRILHAR
Desperte para a regeneração da alma e do próprio corpo físico, começando por se desintoxicar daquilo que desequilibra a tua saúde física. Depure e purifique teus pensamentos, olhando mais para o Sol da verdade, do que para as nuvens da ignorância. Quem se faz luz não teme a escuridão, nem nevoeiros passageiros. Sabe que tudo que não for essencialmente divino, passa e se transmuta. Sendo assim, transmute-se!