30 de setembro de 2011

A COR DO SILÊNCIO

Sempre que olhar para alguma coisa azul, para o azul do céu, para o azul do rio, sente-se silenciosamente e olhe dentro desse azul; você sentirá uma profunda sintonia com ele.

Um grande silêncio descerá sobre você sempre que meditar sobre a cor azul.

O azul é uma das cores mais espirituais porque é a cor do silêncio, da quietude. É a cor da tranquilidade, do repouso, do relaxamento.

Assim, sempre que você estiver realmente relaxado, de repente sentirá interiormente uma luminosidade azulada. E se puder sentir uma luminosidade azulada, sentir-se-á inteiramente relaxado. Isso funciona dos dois jeitos.

29 de setembro de 2011

QUALQUER COISA PODE SER MEDITAÇÃO

Este é o segredo: desautomatize-se. Se podemos desautomatizar as nossas atividades, então tudo na vida se torna uma meditação.


E aí qualquer coisa, por mais insignificante que seja, como tomar um banho de chuveiro, fazer uma refeição ou conversar com um amigo, tudo se transforma em meditação.


A meditação é um potencial, uma capacidade que temos e que pode ser projetada ou transferida para qualquer coisa. Não é uma ação específica.


Há pessoas que pensam dessa forma, acreditando que a meditação seja um ato isolado em que você se senta de frente para o leste, repete determinados mantras, queima um pouco de incenso, faz isso e aquilo num determinado momento e de uma determinada maneira, acompanhados por determinados gestos.


A meditação não tem nada a ver com isso. Todas essas são maneiras de automatizar a meditação e a meditação é contra a automatização.


Portanto, enquanto estiver atento, qualquer atividade poderá ser uma meditação, qualquer movimento o ajudará imensamente.

28 de setembro de 2011

A LENDA DO MUNDO SUBTERRÂNEO

Paccelli José Maracci Zahler

1. Introdução


Os pesquisadores e exploradores, como os russos Nicholas Notovich e Nicholas Roerich, viajando pela Ásia Central disseram ser comuns as histórias sobre a existência de um mundo subterrâneo no qual viveriam os grandes mestres e benfeitores da humanidade.
Tais relatos têm inspirado romancistas e aventureiros e são objetos de estudo de muitas sociedades e grupos esotéricos e ocultistas, principalmente, teosóficos.
Há indícios de que Adolf Hitler teria patrocinado várias expedições científicas pelo Norte da Índia e Tibete em busca de passagens para o mundo subterrâneo onde viveria o Senhor ou Rei do Mundo. Uma aliança política com esse povo poderia representar o controle de todos os países.
Para entender a história do Mundo Subterrâneo é necessário conhecer a hipótese de que a Terra é Oca.


2. A Terra Oca


Desde o início do século, alguns exploradores, dentre eles o russo Dumbrova e o contra-almirante Richard E. Byrd, têm chamado a atenção para a idéia de que existiria uma terra inexplorada além dos Pólos Norte e Sul.
Em fevereiro de 1947, o contra-almirante Byrd realizou um vôo de 2.730 km através do Pólo Norte, tendo descrito uma região montanhosa, com lagos, rios, vegetação e vida animal. O mesmo feito repetiu-se no Pólo Sul, entre novembro de 1955 e março de 1956, revelando "um território novo e vasto", um "continente encantado no céu, terra de perpétuo mistério", nas próprias palavras de Byrd.


O tema já havia sido explorado pelo escritor francês Júlio Verne no livro VIAGEM AO CENTRO DA TERRA, publicado em 1864. Neste livro, o personagem principal, Prof. Lindenbrock, seu sobrinho Axel e um guia islandês partem para uma expedição ao centro da Terra, encontrando uma região com vida pré-histórica e restos de uma antiga civilização.


Entretanto, o primeiro a formular uma teoria sobre a Terra Oca, com abertura nos Pólos, foi o escritor americano William Reed, no livro PHANTOM OF THE POLES, publicado em 1906. Segundo ele, "a Terra é oca e os Pólos, há tanto buscados, são fantasmas. Há aberturas nas extremidades norte e sul. No interior, estão grandes continentes, oceanos, montanhas e rios. É evidente a vida vegetal e animal neste Novo Mundo, que é provavelmente povoado por raças desconhecidas dos moradores da superfície da Terra".


Em 1920, outro escritor americano, Marshall B. Gardner, no livro A JOURNEY TO THE EARTH S INTERIOR OR HAVE THE POLES REALLY BEEN DISCOVERED? apresenta o mesmo conceito da estrutura oca da Terra defendido por William Reed, divergindo na crença da existência de um sol central que originaria o fenômeno da aurora boreal. A Terra teria aberturas circulares em seus Pólos; e a água dos oceanos, que flui através destas aberturas, se aderiria à crosta sólida, tanto em cima quanto embaixo, uma vez que o centro de gravidade se situaria no meio da parte sólida e não no interior oco. Assim, se um barco navegar através da abertura polar e alcançar o interior da Terra, continuaria navegando, em direção oposta no lado de dentro da crosta, podendo atingir o Pólo oposto.


Segundo os dois autores, o clima do interior da Terra seria subtropical, "livre do calor opressivo dos trópicos bem como do frio intenso das zonas temperadas", exatamente como descrito por Júlio Verne.
No livro THE HOLLOW EARTH, publicado em 1969, e que no Brasil recebeu o título de A TERRA OCA, Raymond Bernard, estudando as teorias de William Reed e de Marshall B. Gardner, e relacionando-as com os relatos dos exploradores dos Pólos, principalmente do contra-almirante Richard E. Byrd, tenta provar que a Terra é realmente oca, com aberturas nos Pólos, que em seu interior existe vida animal, vegetal e humana; e que lá existiria uma civilização avançada, detentora da tecnologia dos discos-voadores.


3. Agharta ou Mundo Subterrâneo


Uma vez entendido o conceito da Terra Oca e admitida a possibilidade da existência de um continente no interior do planeta, fica mais fácil compreender a lenda do mundo subterrâneo.


No livro CIDADES PERDIDAS DA CHINA, ÍNDIA E ÁSIA CENTRAL, publicado em 1988, David H. Childress afirma que nessas regiões as histórias sobre os reinos subterrâneos de Agharta e Shamballah são muito comuns, porém contraditórias. Às vezes, se diz que Agharta é um reino subterrâneo que tem como capital Shamballah; outras vezes, que são reinos distintos, havendo entre eles um certa disputa. A mais aceita, no entanto, parece ser a primeira.
O reino de Agharta teria sido fundado por sobreviventes do continente perdido de Atlântida quando este foi engolido pelas águas do Oceano Atlântico há cerca de 11.500 anos.


Os atlantes (habitantes de Atlântida) teriam conhecimento desse mundo subterrâneo e teriam contruído túneis interligando as principais cidades do mundo antigo entre si e com o continente no interior da Terra. Quando Atlântida começou a afundar, eles se refugiaram no interior da Terra com todos os seus sábios.
Acredita-se que a cidade de Lhasa, no Tibete; que a base da Pirâmide de Gizeh, no Egito; que as principais cidades astecas, maias e incas possuem túneis interligando-as à Shamballah. Até mesmo no Brasil, mais especificamente no Planalto Central, GO, e Serra do Roncador, MT, existiriam passagens que conduziriam à Shamballah, pois os atlantes teriam estabelecido colônias nessas regiões. Há quem relate túneis na região de Joinville, SC, e cidades perdidas atlantes na região amazônica.


A civilização de Agharta seria uma continuação da civilização atlante, amante da paz e dedicada à pesquisa científica, sendo capaz de aproveitar as forças naturais, como demonstrado pelos discos-voadores.


Seu dirigente seria o Rei ou Senhor do Mundo cujo representante na Terra seria o Dalai Lama.
Durante vários anos, Agharta teria enviado à superfície vários emissários para ensinar a espécie humana e salvá-la de guerras, catástrofes e destruição. Os principais emissários seriam Quetzalcoatl, Jesus Cristo, Buda, Manco Copac e Kut-Humi.
O épico hindu Ramaiana descreve Rama como um dos emissários de Agharta, o qual teria vindo à superfície da Terra em um veículo aéreo, chamado vimana, que nada mais seria que um disco-voador. Uma tradição chinesa fala de professores divinos vindos em veículos aéreos.
Diz-se que Osíris teria sido, também, um emissário de Agharta e que Salomão havia sido presenteado com um vimana o que teria permitido o seu deslocamento pela Ásia Oriental.
Agharta teria alcançado um elevado grau de civilização, de organização econômica e social, e de progressos culturais e científicos. Suas cavernas seriam iluminadas por uma luz resplandescente que permitiria o cultivo de vegetais e proporcionaria a seus habitantes uma vida longa e livre de doenças. Lá, praticamente não haveria velhice nem morte.
Os sexos viveriam separados e não existiria casamento. Cada um seria livre e independente. As crianças seriam criadas coletivamente por professores especiais e sustentadas pela comunidade.
Pelo exposto, pode-se verificar que o livro, posteriormente transformado em filme, HORIZONTE PERDIDO, com a atriz Liv Ullman, foi baseado na lenda de Agharta com as adaptações necessárias para o cinema.


No livro OUR PARADISE INSIDE THE EARTH, o escritor americano Theodore Fitch diz que os discos-voadores são veículos para viagens atmosféricas que vêm do interior oco da Terra. Seus pilotos são pequenos e servem a uma raça superior (atlantes).Não aparentam ter mais de 30 anos de idade, são muito inteligentes, falam livremente de forma rápida, certa e objetiva.

Respondem a todas as perguntas, contudo mentem a respeito de coisas que não querem que as pessoas saibam, ocultando sua origem subterrânea e fingindo vir de outros planetas. Em geral, se vangloriam de sua mentalidade e conhecimento superiores, afirmando conhecer todos os idiomas da Terra.
É interessante observar que a descrição acima coincide com o relato de pessoas que afirmam peremptoriamente ter tido contato com seres "do espaço".


5. A busca de Agharta


Muitas viagens têm sido empreendidas e patrocinadas por grupos ocultistas e esotéricos para encontrar as passagens para o Mundo Subterrâneo. Uma das mais famosas foi realizada pelo coronel Percy Harrison Fawcett, em 1925, à Serra do Roncador, MT, da qual nunca voltou. Segundo Hermes Leal, autor do livro CORONEL FAWCETT-A VERDADEIRA HISTÓRIA DO INDIANA JONES, o coronel Fawcett teria pertencido à Maçonaria e ela teria sido uma das patrocinadoras de sua expedição.
Durante o período em que esteve no poder, Adolf Hitler teria organizado pesquisas em busca da Agharta pois, segundo a doutrina oculta nazista, lá viviam os Super-Homens. Assim, em abril de 1942, teria enviado uma expedição naval para a ilha de Ruegen, no Mar Báltico, com o objetivo de tirar fotografias da armada britânica, mirando com a câmera para cima e fotografando atrás do centro da Terra Oca.
Diz-se que Madame Blavatsky, fundadora da Sociedade Teosófica, conseguiu fazer contato com mestres de Shamballah e recebido instruções importantes para o desenvolvimento de sua doutrina.
A busca de Agharta continua e, segundo Raymond Bernard, a nação que a encontrar e com ela estabelecer alianças, tornar-se-á a maior do mundo.


6. Considerações finais


Segundo algumas lendas orientais, os habitantes do Mundo Subterrâneo dividiram-se em dois grupos. Os de Agharta seguiram o "caminho da direita", da meditação e da bondade; os de Shamballah, o "caminho da esquerda", do mal, da violência.


Shamballah seria uma cidade de ocultistas negros, cuja força comandaria os elementos e a humanidade através da telepatia, hipnose, mediunidade e outros meios ocultos, a fim de acelerar a chegada da raça humana ao "ponto crucial", provavelmente o Armagedon. Há quem afirme que emissários shambalistas foram enviados à Alemanha para ajudar os nazistas e que, após a derrota, Adolf Hitler teria ido para o Tibete e se estabelecido em Shamballah.
É interessante observar que a antiga religião tibetana Bon, segundo David Childress, afirma ter-se originado em Shamballah. Seu símbolo é uma suástica virada para a esquerda, igual à nazista; os budistas também utilizam uma suástica virada para a direita, simbolizando o "caminho da direita", em oposição ao ocultismo negro, e, quando chegaram ao Tibete, buscaram suplantar pacificamente a religião Bon .
Segundo a tradição, tanto Agharta como Shamballah se conectam em todos os grandes mosteiros do Tibete por um sistema de passagens subterrâneas, cuja entrada é proibida aos forasteiros e guardada por monges.
Shamballah é descrita como um vale maravilhoso e exuberante nas altas montanhas, com uma torre de jade maciço, de onde se irradia uma luz possante.
Tanto em Agharta como em Shamballah podem ser vistas fantásticas invenções e artefatos e seus visitantes costumam sair abismados com o esplendor e a beleza dos lugares, embora tudo seja uma ilusão mental.


Segundo o Prof. Henrique J. de Souza, da Sociedade Teosófica Brasileira, em todas as raças da humanidade existe a tradição de uma Terra Sagrada ou Paraíso Terrestre, a qual somente pode ser conhecida por pessoas merecedoras, puras e inocentes. O caminho para ela constitui a motivação central e a chave mestra de todos os ensinamentos misteriosos e sistemas de iniciação no passado, presente e futuro. Esta chave era designada pelos antigos rosacrucianos pela sigla vitriol , formada pelas primeiras letras da frase latina vista interiora terrae rectificando invenes omnia lapidem,
para indicar que no interior da Terra está oculto o verdadeiro mistério.

AGARTHA – TEORIA DA TERRA OCA? 

Este é o primeiro filme(abaixo) a ser visto da entrada Polar e da Aurora Borealis, poderosa como campo de energia que está ocorrendo na entrada. Este é litterally olhando para a 5 ª Dimensão da estação espacial russa Mir. Uma visão verdadeiramente Celestial, mais bonito do que jamais poderia ter imaginado, simplesmente deslumbrante. Ambos os pólos são-No-Vôo Zonas, é proibido o voo de aeronaves na região, de modo que este extraordinário documento foi tornado acessível por um russo corajoso chamado Wistle Blower. 
(Você pode ver o filme no meu site , na parte inferior da página: UFO e filmes Crop Circles) www.astraelia.piczo.com YOU TUBE:  prova da existência de Agartha INNER EARTH UNIDO: Esta é uma prova excelente da existência do reino de Agartha Innner Terra.


O Reino Agartha é um paraíso dimensional 5 interior do Gaia deusa divina, a nossa amada Mãe Terra. Eles são os descendentes de Lemuria e os de Atlantis que se mantiveram fiéis à Luz.Eles tinham de encontrar abrigo no ventre de Gaia (terra) e criaram um paraíso para viverem no interior da Terra, quando nosso planeta paraíso foi perturbado por invasores escuros a 550.000 mil anos atrás.


A música que você ouve durante o filme está chegando DO INTERIOR DA TERRA ! Ela foi gravada pelo cientista russo em uma caverna secreta tibetano sagrado que se comunica diretamente com a Inner Agartha Reino da Terra.


Os monges tibetanos dizem que tenho meditado durante séculos nesta caverna secreta, e é só desde há pouco tempo que esta música foi ouvida vinda das profundezas da Terra.


O som constante de modulação é cada vez mais poderosos, e é uma indicação de que grandes coisas estão em formação, e que as profecias sobre o retorno de uma Idade da Luz na Terra e da Terra Interior estão prestes a chegar a plenitude da manifestação. É a esperança além da esperança cumprida, esta é a beleza sagrada que foi escondido de nós desde milênios, que os amigos da Luz existe e em torno de nosso planeta, mas que foram mantidos em uma prisão virtual da ignorância desde séculos incontáveis neste planeta . Vamos comemorar essa grande descoberta, eles são a nossa família na Luz, e tem sido decidido por Deus que deve conhecer-nos muito em breve, tão logo tenha os nossos irmãos e irmãs das estrelas terá manifestado o primeiro contato com a humanidade. By the way, você quer saber por que há tanto segredo sobre extraterrestres?


Por que você acha que há tanto segredo sobre OVNI e as civilizações extraterrestres? É porque o que chamamos de anjos ... é deles!


Porque o que chamamos de extraterrestres também são mais elevados Seres dimensional das dimensões espirituais mais elevados em missão aqui enviado por Deus para vir se revelam para nós. Eles são enviados aqui pelo Criador principal deste Universo para oferecer grande ajuda à humanidade, e também para nos informar que eles são a nossa família, e que eles nos consideram como família. Eles também estão vindo para pôr fim ao reinado das trevas deste mundo.


É por isso que nossos governos não querem que você saiba que há uma imensa ARMADA de UFO e a nave mãe gigante ao redor da Terra, preparando-se para o primeiro contato com nós, à espera do sinal de Deus para vir e ajudar a libertar este planeta sagrado e da humanidade das forças dos inimigos da Luz, que têm secretamente tomado o controle quase total do nosso planeta.


Esta é a esperança além da esperança e do grande Luz da Esperança que está sendo escondido de nós.Que a luz da aurora surgir em nossa alma. Astraelia Descubra o site megalíticos sagrado de Agartha na região de Quebec.


(Célio Siqueria)



Imagens:  cubbrasil.net
                 neusarochateles9.blogspot.com
                 onucleo.blogspot.com

27 de setembro de 2011

SOMENTE A CONSCIÊNCIA PERMANECE

A meditação é uma aventura, uma aventura rumo ao desconhecido — a maior aventura que a mente humana pode ter. E por aventura eu quero dizer que você não pode ser instruído sobre ela.

Em primeiro lugar, é impossível saber algo sobre ela antecipadamente. A menos que a pessoa a conheça, não pode saber nada. Tudo o que se tem dito, em última análise, não significa nada: a verdade permanece indizível. Muito se tem dito — muito se tem dito sobre nada. Nem uma única palavra foi expressa.

A menos que você conheça a meditação, não pode conhecê-la. Mas alguma coisa pode ser indicada. Esse nunca será o ponto; não pode ser. A natureza das coisas é tal que isso é impossível. Você não pode dizer que isto é meditação.

Tudo o que se pode dizer é que isto não é meditação, que aquilo não é meditação. O que resta é — mas o que resta é deixado sem indicação.

Existem muitas razões para isso. A meditação é algo maior do que a mente. Não é algo que acontece na mente; é algo que acontece para a mente. Caso contrário, a mente seria capaz de defini-la, de conhecê-la, de compreendê-la.

Assim, não é algo que acontece na mente, mas para a mente. É como a morte acontecendo para a vida. A morte nunca acontece na vida; acontece para a vida.

A meditação é uma morte para a mente, assim como a morte é para o corpo, para a vida. A meditação é uma morte mais profunda — não física, mas psíquica. E quanto mais profunda a morte, maior é a possibilidade de renascimento.

Quando a morte física acontece, você renasce fisicamente. No que diz respeito a sua interioridade, nada acontece, absolutamente nada. Você permanece igual — a mesma continuidade está presente; nada é diferente.

Entretanto, quanto mais profunda a morte, mais profunda a ressurreição. Se você morrer psicologicamente, se a mente morrer, então você também renascerá, mas esse renascimento não é igual ao renascimento físico.

Quando o corpo morre, ele é substituído; um novo corpo o substitui. Mas quando a morte mental, a morte psíquica acontece, a mente não é substituída. A consciência permanece sem a mente.


26 de setembro de 2011

GENTILEZAS DIÁRIAS


A vida é repleta de pequenas gentilezas, tão sutis quanto marcantes no nosso cotidiano.
O jardim florido oferece um colorido para a paisagem, o sol empresta suas cores para o céu antes de se pôr, a borboleta ensina suavidade e leveza para quem acompanha seu voo.
A gentileza tem essa característica: sutil mas marcante, silenciosa e ao mesmo tempo eloquente, discreta e contundente.
O portador da gentileza o faz pelo prazer de colorir a vida do próximo com suavidade, para perfumar o caminho alheio com brisa suave que refresca a alma.
A gentileza tem o poder de roubar sorrisos, quebrar cenhos carregados ou aliviar o peso de ombros cansados pelas fainas diárias.
E ela se faz silenciosa, algumas vezes tímida, inesperada na maioria das vezes, surpreendendo quem a recebe.
A gentileza não se pede, muito menos se exige... É presente de almas nobres, presenteando outras almas, pelo simples prazer de fazer o dia do outro um pouco mais leve.
Você já experimentou o prazer de ser gentil? Experimente oferecer o seu bom dia a quem encontrar no ponto de ônibus, no elevador ou no caixa do supermercado.
Mas não o faça com as palavras saindo da boca quase que por obrigação. Deseje de sua alma, com olhos iluminados e o sorriso de quem deseja realmente um dia bom, para quem compartilha alguns minutos de sua vida.
A gentileza é capaz de retribuir com nobreza quando alguém fura a fila no supermercado ou no banco, com a sabedoria de que alguns breves minutos não farão diferença na sua vida.
Esquecemos que alguns segundos no trânsito, oferecendo a passagem para outro carro, ou permitindo ao pedestre terminar de atravessar a rua não nos fará diferença, mas facilitará muito a vida do outro.
E algumas vezes, dentro do lar, a convivência nos faz esquecer que ser gentil tempera as relações e adoça o caminhar.
E nada disso somos obrigados a fazer, mas quando fazemos, toda a diferença se faz sentir...
A gentileza se faz presente quando conseguimos esquecer de nós mesmos por um instante para lembrar do próximo. Quando abrimos mão de nós em favor do outro, por um pequeno momento, a gentileza encontra oportunidade de agir.
Ninguém focado em si mesmo, mergulhado no seu egoísmo, encontra oportunidade de ser gentil. Porque, para ser gentil, é fundamental olhar para o próximo, se colocar no lugar do próximo, e se sensibilizar com a possibilidade de amenizar a vida do nosso próximo.
Se não é seu hábito, exercite a capacidade de olhar para o próximo com o olhar da gentileza. Ofereça à vida esses pequenos presentes, espalhando aqui e acolá a suavidade de ser gentil.
E quando você menos esperar, irá descobrir que semear flores ao caminhar, irá fazer você, mais cedo ou mais tarde, caminhar por estradas floridas e perfumadas pela gentileza que a própria vida irá lhe oferecer.

25 de setembro de 2011

LIBERDADE E RESPONSABILIDADE


Tudo na criação está em permanente processo de transformação e aprimoramento.
Assim também ocorre com os homens. Em sua condição de espíritos, trilham marcha ascendente rumo à angelitude.
Foram criados em estado de absoluta simplicidade e ignorância, Mas possuem, desde o princípio, os embriões de todas as virtudes.
Nas primeiras experiências foram conduzidos grandemente pelos instintos. Gradualmente tomaram ciência de seu potencial e passaram a fazer opções. Titubeantes no princípio, desenvolveram a consciência de si próprios e da sua vontade.
Um elemento primordial do progresso consciente é o livre-arbítrio.
As espécies animais e vegetais são conduzidas pelas forças da natureza, em suas etapas de elaboração. Já os homens podem escolher os caminhos que trilham.
O progresso espiritual pressupõe o desenvolvimento da faculdade de discernir o bem e o mal. Para a aquisição desse senso moral, para crescer em entendimento e compreensão, é imprescindível a liberdade de opção. Quanto mais o espírito burila seu intelecto e exerce sua vontade, mais liberdade tem. Seu leque de opções aumenta. Mas não é somente a liberdade que ganha expressão.
Com o conhecimento e o lento evoluir do ser, ele se torna mais responsável pelo que faz. Quando o instinto predomina, a responsabilidade é ínfima. Quando a vontade e a consciência regem o destino, torna-se inarredável a responsabilidade.
O homem é intrinsecamente livre em seus atos e pensamentos, mas responde por tudo o que faz e pensa.
As leis humanas são freqüentemente burladas e enganadas, contudo, nos estatutos divinos não há qualquer falha.
Sendo as leis divinas inscritas na consciência de cada homem, elas jamais são burladas. Ninguém escapará de si próprio.
Cada qual é livre para pensar, falar e agir. Mas essa liberdade sempre deve respeitar os direitos do próximo.
A movimentação do livre-arbítrio jamais deve causar sofrimento e coerção para outrem.
Quem se permite infelicitar o semelhante, infelicita-se a si próprio.
O desrespeito à dignidade e à felicidade alheias aprisiona o seu autor.
O homem que provoca sofrimento prepara para si um cárcere de sombra e desgraças. Talvez ele engane a justiça humana. Quiçá logre anestesiar a própria consciência por um tempo. Mas cedo ou tarde, nesta encarnação ou em outra, despertará para a realidade. Sua consciência o chamará a prestar contas de seus atos.
Então, a dor infligida ressurgirá no íntimo do ser. Entre inibições e complexos, lutas e sofrimentos, ele se acertará com as leis divinas.
Reflita na responsabilidade que você possui, em sua condição de homem livre. Você pode muito. Pode escolher ser honesto ou desonesto, misericordioso ou cruel, leal ou traiçoeiro, útil ou inútil. Mas responderá por seus atos. Não se trata de pecado e castigo, mas de responsabilidade.
Pense nisso!

24 de setembro de 2011

A PRIMAVERA DOS SENTIMENTOS


A primavera é uma estação que costuma alegrar e inspirar grande número de pessoas. Poucos lhe são indiferentes.
É lembrada como a estação das flores, pois essas costumam ser exuberantes nessa época, alegrando nossos olhos com um espetáculo de cores.
O ar se enche do aroma das flores e nos provoca sensações de bem estar, não raro nos trazendo boas lembranças de outras primaveras, pois o sentido do olfato tem uma forte ligação com a memória.
Os pássaros iniciam a época de seu acasalamento e, a cantar, convidam um parceiro para dar continuidade à sua espécie, perpetuando a vida.
No ar o pólen das flores busca espécimes similares para que o espetáculo visual tenha continuidade.
Sem dúvida é uma estação na qual há uma verdadeira explosão de vida na natureza!
E nós, seres humanos nos contagiamos com tal exuberância. As novas temperaturas convidam a sair, ao contrário do frequente ensimesmamento do inverno.
Cuidamos de nossos jardins, podamos nossas árvores para que seus brotos sejam mais fortes e esperamos.
Mas, não raro, passadas as primeiras semanas, as cores da natureza já não chamam mais nossa atenção pois deixam de constituir novidade.
Voltamos à rotina. É necessário que um novo inverno nos faça desejar novamente a primavera.
Assim também nos comportamos em nossas relações afetivas. Quando conhecemos alguém que desperte em nós o amor, sentimos, inicialmente, uma imensa alegria, e passamos a nos comportar de maneira diferente.
Tal qual na primavera, nossos sentimentos parecem flores a se abrir. Nossas atitudes em relação à pessoa amada são delicadas.
Nossa voz possui um tom de ternura tal qual o canto de um pássaro.
Quando amamos emitimos pensamentos que modificam nossa fisionomia, estampando em nossa face um sorriso constante. Da mesma forma que o perfume das flores nos atrai, os pensamentos nobres atraem pessoas à nossa volta.
Ao emitirmos bons pensamentos modificamos a energia que nos rodeia, a energia na qual nosso corpo está imerso.
Não é à toa que a Ciência tem demonstrado que quem ama mantém a saúde, atrasa o envelhecimento de suas células, e vive mais.
No entanto, frequentemente, deixamos o tempo transformar o sentimento em algo rotineiro, esquecemo-nos de adubá-lo e de regá-lo, pois já não nos é mais uma novidade.
Permitimos o calor das discussões e, depois delas, o esfriamento da distância e da desatenção.
Então, tal qual em relação às estações, aguardamos por uma nova primavera embora não nos esforcemos por ela, esquecidos de que somos plenamente responsáveis por nossos sentimentos.
O amor verdadeiro é sólido, dá abrigo e segurança qual  frondosa árvore sob a qual nos abrigamos. As intempéries não mais a vergam.
Mas essa árvore foi um dia uma semente que germinou em solo fértil, que foi regada pelas chuvas, que se enraizou progressivamente até se tornar sólida e bela.
Lembremos sempre que o amor não prescinde de cuidados, de pequenas atenções, de carinho, pois se amamos mas não exteriorizamos este sentimento, de forma equilibrada e constante, algum dia ele poderá ser esquecido.
Pensemos nisso!

23 de setembro de 2011

EQUINÓCIO DE PRIMAVERA 2011

          Por Regina Auxiliadora Atulim
A palavra equinócio vem do Latim, aequus (igual) e nox (noite), e significa "noites iguais", ocasiões em que o dia e a noite duram o mesmo tempo. Ao medir a duração do dia, considera-se que o nascer do Sol (alvorada ou dilúculo) é o instante em que metade do círculo solar está acima do horizonte, e o pôr do Sol (crepúsculo ou ocaso) o instante em que o círculo solar está metade abaixo do horizonte. Com esta definição, o dia e a noite durante os equinócios têm igualmente 12 horas de duração.
Os equinócios ocorrem nos meses de março e setembro quando definem mudanças de estação. Em março, o equinócio marca o início da primavera no hemisfério norte e do outono no hemisfério sul. Em setembro ocorre o inverso, quando o equinócio marca o início do outono no hemisfério norte e da primavera no hemisfério sul.
Este ano de 2011, o equinócio começa hoje às 09:04h.
A Primavera do hemisfério norte é chamada de "Primavera boreal", e a do hemisfério sul é chamada de "Primavera austral". A "Primavera boreal" tem início, no Hemisfério Norte, a  21 de Março e termina a 21 de Junho. A "Primavera austral" tem início, no Hemisfério Sul, a 23 de Setembro e termina a 21 de Dezembro.
Embora os efeitos da primavera sejam menos perceptíveis no hemisfério sul que no hemisfério norte da Terra, notamos que, nessa época, a vegetação torna-se exuberante, os pássaros cantam mais e os dias adquirem um brilho e uma nitidez diferentes dos dias de inverno. Poderíamos nos contentar simplesmente com a contemplação da natureza, a sensação do aquecimento proporcionado pelo Sol da manhã e com as temperaturas amenas das noites, mas não. Vamos mais além e nos perguntamos? Por que a primavera é, senão a mais bonita, a estação do ano mais confortável? Por que a vegetação torna-se mais verdejante? Que é equinócio? De que maneira primavera e equinócio se relacionam?
Essas são questões que exigiram muitos estudos e um grande intervalo de tempo de observações do Sol, do céu e da natureza para serem respondidas. Em linguagem astronômica, os equinócios são dois pontos de intersecção entre o equador celeste (projeção do equador da Terra sobre a esfera celeste) e a Eclíptica (trajetória aparente do Sol em torno da Terra, decorrente da falta de percepção do movimento de translação da Terra em torno do Sol).
O equador celeste divide a esfera celeste em dois hemisférios - o norte e o sul. Os pontos de equinócio marcam a passagem do Sol de um hemisfério celeste para o outro: aproximadamente no dia 23 de setembro de cada ano, o Sol passa por um ponto de equinócio (ponto libra), deixando o hemisfério celeste norte e entrando no hemisfério celeste sul; por volta do dia 20 de março, passando pelo outro ponto de equinócio (o ponto gama), ocorre o contrário. Essas datas são conhecidas como os dias dos equinócios de primavera e de outono, respectivamente, e coincidem com início das estações da primavera e do outono no hemisfério sul da Terra (no hemisfério norte elas correspondem ao início das estações do outono e da primavera).

Imagens: imperiumsolis.blogspot.com
                   manmessias21.blogspot.com

22 de setembro de 2011

A PRIMAVERA E O EQUINÓCIO

A primavera no ano de 2011, terá início no dia 23 de setembro e terminará no dia 22 de dezembro.

A primavera é uma das estações do ano após o inverno e antes do verão. É uma estação muito boa e muito esperada por todos, caracterizada pelo aparecimento das flores e associada à fauna e a flora. Essa estação é conhecida por manter um clima gostoso, nem quente, nem frio, mas um tempo ameno, por isso é a estação preferida de muita gente.

É uma estação caracterizada pelo nascimento e crescimento tanto das flores quanto dos animais também. Em todos os filmes, desenhos, sempre que alguém irá se referir a primavera, refere-se como um clima gostoso, com vento e flores desabrochando, com um cenário bem florido e colorido.

A primavera é ansiosamente aguardada por todos, embora muitos não saibam quando começam e quando terminam as estações do ano. É muito comum não saber a data exata em que as estações mudam, mas caso você não saiba, nós responderemos.
Do ponto de vista da Astronomia, a primavera do hemisfério sul inicia-se no equinócio de Setembro e termina no solstício de Dezembro, no caso do hemisfério norte inicia-se no equinócio de Março e termina no solstício de Junho.   
Isso é definido como o instante em que o Sol, em sua órbita aparente, (como vista da Terra), cruza o plano do equador celeste (a linha do equador terrestre projetada na esfera celeste). Mais precisamente é o ponto no qual a eclíptica cruza o equador celeste.

As datas dos equinócios variam de um ano para o outro, devido aos anos trópicos (o período entre dois equinócios de março) não terem exatamente 365 dias, fazendo com que a hora precisa do equinócio varie ao longo de um período de dezoito horas, que não se encaixa necessariamente no mesmo dia. O ano trópico é um pouco menor que 365 dias e 6 horas. Assim num ano comum, tendo 365 dias e - portanto - mais curto, a hora do equinócio é cerca de seis horas mais tarde que no ano anterior. Ao longo de cada sequência de três anos comuns as datas tendem a se adiantar um pouco menos de seis horas a cada ano. Entre um ano comum e o ano bissexto seguinte há um aparente atraso, devido à intercalação do dia 29 de fevereiro.
Como se constata, no dia do equinócio o dia e a noite têm a mesma duração. A cada dia que passa, o dia aumenta e a noite vai encurtando um pouco, aumentando, assim, a insolação do hemisfério respectivo.
Também se verifica que a cada ciclo de quatro anos os equinócios tendem a se atrasar. Isto implica que, ao longo do mesmo século, as datas dos equinócios tendam a ocorrer cada vez mais cedo. Dessa forma, no século XXI só houve dois anos em que o equinócio de março aconteceu no dia 21 (2003e 2007); nos demais, o equinócio tem ocorrido em 20 de março. Prevê-se que, por volta do ano 2040, passe a haver anos em que o equinócio aconteça no dia 19. Esta tendência só irá se desfazer no fim do século, quando houver uma sequência de sete anos comuns consecutivos (2097 a 2103), em vez dos habituais três.
Devido à órbita da Terra, as datas em que ocorrem os equinócios não dividem o ano em um número igual de dias. Isto ocorre porque quando a Terra está mais próxima do Sol (periélio) viaja mais velozmente do que quanto está mais longe (afélio).

             happy-stiletto.blogspot.com
             

21 de setembro de 2011

ALÉM DA VIDA

O que nos espera depois da morte física? Esta é uma pergunta que muitos se fazem. Ante o desconhecimento do que os aguarda, alimentam o terror da morte.
Pessoas há que sequer ousam mencionar a palavra, como se isso fosse atrair o fato para si ou para os seus. Mas isso não impede que a morte chegue.
O medo de morrer está muito em função do desconhecimento de que para além da vida corporal existe a verdadeira, a vida espiritual.
Embora alguns ainda duvidem, é uma certeza. Dr. Raymond Moody Jr, com residência na Escola de Medicina da Universidade de Virgínia, nos Estados Unidos, possui larga experiência sobre o assunto.
Com vários livros publicados, ele relata os casos de pacientes que tiveram Experiências de Quase Morte.
Isto é, pessoas que sofreram problemas graves, que quase lhes assinalaram a morte e retornaram, contando o que lhes aconteceu naquele período.
Embora alguns tratem tais relatos como alucinação, não se pode conceber que ao retornarem ao corpo, após a morte aparente, tais criaturas relatem fatos, situações, quase sempre confirmados.
Mais recentemente, Dr. Moody passou a analisar o caso de crianças que sofreram morte aparente.
Porque, diz ele, se o adulto teve tempo para ser influenciado e modelado pelas experiências de sua vida e crenças religiosas, as crianças não estão profundamente influenciadas pelo ambiente cultural e nelas a experiência adquire um certo frescor.
É o caso da garota de sete anos que, ao atravessar um trecho congelado do rio, caiu e bateu a cabeça. Desmaiou e permaneceu inconsciente por doze horas.
Durante esse tempo, o médico não sabia se ela iria morrer ou viver.
A garota se viu em um jardim extraordinariamente belo, com flores semelhantes a dálias enormes.
Olhou em volta e viu um ser. Sentiu-se amada e acalentada pela sua presença. Foi uma sensação deliciosa, como jamais experimentara em sua vida.
O ser então lhe disse: Você vai voltar. E ela respondeu: Sim.
Ele perguntou porque ela queria retornar ao seu corpo e ela disse: Porque minha mãe precisa de mim.
Depois disso, sentiu-se descendo por um túnel. Acordou na cama, levantou-se e disse: Oi, mamãe.
Essa é uma boa evidência de que há vida depois da morte.
Prosseguiremos a viver sim, porque o Espírito é imortal e haverá de retornar, muitas vezes ainda, ao cenário da Terra, até sua completa depuração.
*   *   *
Quando as crianças relatam suas Experiências de Quase Morte, constata-se que um número surpreendente delas se vêem em corpos espirituais adultos.
Tal fato está levando expoentes da Psiquiatria, da Psicologia e da Psicanálise à conclusão de que o homem não é um ser físico, vivendo experiências espirituais, mas um ser espiritual, temporariamente ligado a um corpo físico.
É a Ciência levando o homem a reconhecer as verdades já propaladas desde a remota Antigüidade.

20 de setembro de 2011

SOMOS SERES MULTIDIMENSIONAIS

Há algum tempo estamos nos preparando para uma NOVA ERA; esta movimentação requer uma transformação pessoal e social que nasce dos sonhos e visões das pessoas, da ousadia de explorar novas possibilidades; é uma "viagem" que exige muita disciplina e fé, pois não há um manual de consulta para ler e nem um terapeuta para informar sobre mudanças do corpo com base na experiência pessoal. Uma das coisas que as pessoas que desejam fazer esta viagem precisam entender é que nossas crenças são os únicos elementos que realmente limitam; pois temos a capacidade e a oportunidade de criar uma realidade que nos permite realizar o seu potencial máximo de acordo com nossas experiências e padrões pessoais. Este é o momento de examinar nosso sistema de crenças e ampliar ou mudar o quadro de referência do entendimento que tínhamos até então.


A decisão de passar pelo processo deve vir do próprio coração; precisa-se sentir no íntimo de que é o certo. A pesquisa da medicina holística revela que os seres humanos existem numa realidade física, naquilo que é chamado de QUATRO CORPOS – físico, emocional, mental e espiritual. Li certa vez uma comparação bem simplista que falava que poderíamos fazer uma comparação entre esses corpos e um violão de 4 cordas: "quando os 4 corpos estão sintonizados uns com os outros, quando estão afinados, a vida fica mágica"; em compensação, quando fora de sintonia, desarmônicos, experienciamos graus variados de doença física, emocional ou mental, ou insatisfação com a vida. Quando estes corpos inferiores (de freqüência mais baixa) estão sintonizados com a freqüência dos corpos superiores, os seres humanos podem de fato realizar o seu grau máximo de potencialidades nesta vida. Telepatia, clarividência e a capacidade de viver sem comer e sem dormir.


Tendo como conceito de que ENERGIA "é a capacidade que a matéria ou radiação tem de realizar um trabalho", constatamos que CONSERVAÇÃO DE ENERGIA é uma expressão que se refere a lei da ciência que afirma que a energia (ou seu equivalente em massa) não pode ser criada, nem destruída, mas pode mudar de forma e muda realmente. Deepak Chopra – 99,9% de todo átomo é espaço vazio e as partículas subatômicas que se movem a grande velocidade através desse espaço são feixes de energia vibratória que transportam informações e codificações únicas ("não substância pensante").


Para construir a vida a partir da matéria inerte, a energia e as informações têm que ser trocadas por meio do RNA e do DNA para que a estrutura celular seja criada, o fluxo dessa Inteligência é o que nos sustenta (campo universal). O MUNDO FÍSICO é apenas um espelho de uma Inteligência mais profunda que organiza a matéria e a energia, e que também reside em nós. Isso significa que todos nós somos parte de um todo maior – uma teia cósmica. Embora sejamos únicos em nossa individualidade, o terreno comum da energia pura que sustenta todas as células de nosso corpo liga-nos a todas as outras formas de vida e de experiência do Universo.


As religiões chamam esta energia de "DEUS" ou "SUPRACONSCIÊNCIA" e acreditam que seja onipresente e onisciente. A física quântica chama esta energia de "grande energia de unificação" e também acredita que ela está em toda parte, é onipotente e onisciente. ("Tudo O Que É", "Inteligência Divina", "Grande Mistério")...todos não passam de rótulos para descrever a mesma força ou poder. Pensamentos palavras e ações também são energia. A energia expande-se, contrai-se e muda de forma, e aquilo que emitimos volta para nós (você colhe o que você planta); em termos energéticos, tudo é governado pela LEI UNIVERSAL DA RESSONÂNCIA, segundo a qual os semelhantes se atraem.


Os seres humanos têm QUATRO CORPOS "inferiores" de energia que vibram em freqüências diferentes: o físico (o único visível ou com aparência sólida diante de nossos olhos físicos), o emocional, o mental e o espiritual; também temos corpos de energia superior. Eles são considerados superiores por vibrarem em freqüências mais elevadas. Quando conseguimos colocar estes corpos num alinhamento ou harmonia perfeita uns com os outros, obtemos um conhecimento superior que inclui a vivencia da compreensão do sentido superior da nossa existência à medida que tudo entra em seu devido lugar.


Este estado de iluminação é obtido por meio de total sintonia dos 4 corpos inferiores, de modo que eles não só vibram em perfeita ressonância uns com os outros, como também atingem um nível que permite à Alma ou Eu Superior – e num estágio posterior, Eu Sou Presença, Deus Interior ou CONSCIÊNCIA CRÍSTICA – alojar-se integralmente dentro do corpo físico.


Somos sistemas de energia e como tal, transmitimos e emitimos sinais aleatórios, temos e temos experiências de vida aleatórias ou fortuitas; no entanto, quando controlamos deliberadamente nossos sinais, podemos, em conseqüência, conseguir um maior grau de controle sobre nossa vida. Se dermos mais um passo, sintonizando nossos corpos e REALINHANDO nossas freqüências (os sinais de energia que transmitimos) numa escala mais pura e mais harmoniosa, poderemos então controlar a qualidade e intensidade de nossa vida e de nossas experiências.


Aceitando o que a física moderna nos comprova, de que não é possível criar ou destruir a energia, mas que ela muda constantemente de forma, e quando vemos os seres humanos como sistemas energéticos dinâmicos, chegamos à conclusão lógica de que a teoria da REENCARNAÇÃO, simplesmente reconhece a indestrutibilidade da energia; nosso corpo físico pode se deteriorar e morrer, mas a energia que o compõe e que o sustenta, simplesmente muda de forma e continua existindo.


Pesquisas cuidadosas na área de regressão a vidas passadas e futuras (Brian Weiss, Edgar Cayce...), evidenciam a nossa capacidade de restabelecer o acesso à memória celular num plano de consciência onde o passado, o presente e o futuro existem num estado de simultaneidade temporal. A vida num corpo humano pode ser comparada a freqüentar uma escola, é um processo de crescimento e aprendizagem; quando morremos, saímos do campo energético do corpo físico e, durante algum tempo, preservamos os campos energéticos dos corpos emocional, mental e espiritual. Estes estão integrados num campo energético de consciência e nos permitimos tirar férias. As férias são uma fase de reflexão, onde olhamos para o período letivo que acabou, vemos o que foi que aprendemos e se passamos em nossos testes ou fomos reprovados, Os testes pelos quais não passamos precisarão ser refeitos da próxima vez; aí então começamos a planejar o nosso próximo período letivo, selecionando o "currículo" e os assuntos que desejamos estudar.


Essa APRENDIZAGEM e estes testes estão relacionados com o nosso crescimento enquanto seres espirituais, e as lições que temos que assimilar em geral estão ligadas a coisas intangíveis como empatia, amor, compaixão, servir ao próximo, etc... é também um período para entendermos as relações afetivas e a vida em geral num plano denso, material; porque nós, as centelhas Divinas, optamos por estar nesta escola da vida no planeta Terra é outra história. Depois que aprendemos tudo o que há para aprender nessa escola e de passarmos em todos os nossos exames, vamos para outra instituição de ensino, rompendo assim o ciclo de reencarnações nesse plano terrestre.


A LEI UNIVERSAL DE MUDANÇA E TRANSMUTAÇÃO afirma que nossos campos energéticos individuais continuam a mudar de forma constante, como a própria energia; todavia a mesma lei afirma que a energia é indestrutível, o que nos faz concluir que nossos padrões energéticos pessoais (Jung - arquétipos) são igualmente indestrutíveis: nossa alma é imortal.


"Aprenda a controlar as vibrações, controlando os pensamentos e você terá nas mãos as chaves da Vida Eterna" – Annalee Skarin in We are Gods. A energia eterna ondula por toda a matéria, o poder da existência nos átomos com suas moléculas e elétrons em redemoinhos por toda a substância terrestre não é nada mais, nada menos que vibrações condensadas até chegarem ao PONTO DE TANGIBILIDADE lenta, pesada, mortal. Se conseguir controlar as vibrações, você acaba desenvolvendo a capacidade de controlar a substância e a energia material, isto é, obtém as chaves para abrir as portas da imortalidade, pois energia é vida e vida, luz, amor e energia são elementos eternos e são vibrações criadas pelo processo mental. Quando a pessoa eleva a própria FREQÜÊNCIA VIBRATÓRIA até a FREQÜÊNCIA DA VELOCIDADE DA LUZ, ela começa um processo de domínio e o seu Ser terá acesso a mais informações da Consciência Universal; nesse processo o Ser passa a ficar centrado e as configurações energéticas são mais ordenadas, holísticas e harmônicas.


Centrados temos acesso ao CÓDIGO UNIVERSAL e em contato com esta freqüência, compreendemos também as estruturas energéticas dos outros, pois somos um só. Na unidade desta existência temos condições de transmitir e receber mensagens e o que é mais importante: podemos nos transformar no remetente e no destinatário de mensagens, com uma compreensão perfeita. O arcanjo ARIEL (12ªdimensão) afirma que a matéria, tal como a conhecemos a partir da 3ª dimensão, é um adensamento da Luz; quando há um processo de adensamento, há um ponto em que ele chega ao afastamento máximo da forma mais pura de Luz; nesse ponto ocorre uma mudança e o planeta começa e inverter o seu processo, dando início ao que poderíamos chamar de trajetória de volta ao lar, de volta ao ponto Um. Toda vez que um planeta ascende ele muda de freqüência vibratória no sentido de ficar menos denso e mais leve, e empreende esse processo à sua própria maneira, única e intransferível.


A COSMOLOGIA EVOLUTIVA fala de sete faixas, com sete subplanos; a primeira pode ser vista com os sete planos do sistema solar, com seus sete subplanos, e é conhecida como o plano cósmico físico. Fala-se de sete planos cósmicos:
1. FÍSICO
2. ASTRAL
3. MENTAL
4. BÚDICO
5. ÁTMICO
6. MONÁDICO
7. LOGÓICO


Os planos de nosso sistema solar fazem parte do plano cósmico físico. Depois de completarmos os setes subplanos, passamos para o nível mais baixo do plano cósmico seguinte e assim por diante, evoluindo lentamente de volta à FONTE.


Já foi escrito que "um dia de deus, que é uma expiração e inspiração, dura 4 bilhões e 320 milhões de anos" (TEOSOFIA - TEOLOGIA), portanto nos restam 1,2 milhões de anos até a inspiração se completar e então inicia-se um novo ciclo. Dizem que o ponto médio exato entre a inspiração e a expiração é o ano 2012, última data do Tzolkin (calendário maia), e foi prevista pelos índios hopi e muitas outras civilizações; esse ano marca uma época de mudança assombrosa, com multidões despertando para sua verdadeira divindade.


À medida que voltamos para à luz, nossa experiência de tempo é afetada e em conseqüência, embora já tenhamos passado do ponto médio no tempo linear (expiração e inspiração), a velocidade do tempo está aumentando proporcionalmente à velocidade das oscilações. Da mesma forma, à medida que "envelhecemos", o tempo parece "voar". Nos é sabido, de canais competentes, que devido à mudança da freqüência e ao maior número de vibrações, nosso dia de 24 horas é agora experienciado como se tivesse 16 horas.


Para entender-se melhor a questão das FAIXAS DE FREQÜÊNCIA, existe a necessidade de diferenciar-se os planos dimensionais. No plano cósmico físico a faixa de freqüência mais elevada é a sétima, onde a consciência é uma experiência multidimensional; quando a consciência atinge este nível, tem condições de passar para a faixa de freqüência seguinte – com seus sete subplanos e a essa altura a consciência individual não existe mais, pois é o plano acima da MÔNODA, ou consciência de que EU SOU.


A 1ª DIMENSÃO é a dimensão dos minerais, da água, dos átomos e moléculas que constituem os códigos genéticos básicos. Assim a segunda dimensão é o plano da consciência linear, este é o plano do ponto ou consciência unidimensional.


A 2ª DIMENSÃO é a densidade dos reinos vegetal e animal; embora esses também tenham se tornado mais refinados em termos de freqüência devido às mudanças das vibrações planetárias e estejam entrando na terceira. Neste plano a consciência de si e do ego não existe.


A 3ª DIMENSÃO baseia-se na matéria e é um estado de consciência de volume, bem como de percepção do ego. A vibração deste plano cria a ilusão da separação, e por isso, é um desafio para o despertar individual; dá à humanidade a chance de descobrir que somos seres espirituais tentando ser humanos, em vez de seres humanos tentando ser espirituais.


A 4ª DIMENSÃO é um estado de supraconsciência e de reintegração da identidade de grupo sem a perda da identidade individual ou ego; dá capacidade de fazer conexão com realidades multidimensionais e é a última densidade que requer corpo físico. Baseia-se nas emoções e é conhecida como mundo astral; muitos de nós já acessamos esta dimensão numa transição que chama-se "CONVERGÊNCIA HARMÔNICA" que produziu um grande alinhamento energético e grande mudança na freqüência vibratória, tanto do planeta quanto dos seres que vivem nele. Em dezembro de 1994 a Terra recebeu uma grande quantidade de energias que ainda estão sendo alinhadas e que vão continuar acontecendo em graus maiores ou menores.


A 5ª DIMENSÃO é um plano de consciência experiencial do "eu" enquanto identidade de grupo e não está limitada pelo tempo linear. Os seres desse plano podem assumir forma física quando e se quiserem. Nesta dimensão todos são Mestres, MULTIDIMENSIONALMENTE conscientes e totalmente dedicados ao Espírito e a servir a Vontade Divina.


A 6ª DIMENSÃO é a CONSCIÊNCIA CRÍSTICA, ou BÚDICA, o tipo de percepção onde se assume responsabilidade pelo todo, em vez de apenas por si mesmo; é onde a MÔNODA está ancorada. Dizem que é o plano da consciência que existia em Jesus quando ele se tornou Cristo. A sexta dimensão é o molde das estruturas de DNA de toda a criação, é feita de cor e som e contém todas as linguagens da luz; é onde a consciência cria o pensamento e onde as criaturas trabalham e aprendem durante o sono; aqui os seres são energia pura, mas podem criar um corpo, se quiserem e se for necessário, como na quinta dimensão.


A 7ª DIMENSÃO é pura luz, som puro, geometria sagrada, criatividade e expressão puras: um plano de sofisticação infinita. Nosso planeta agora vibra no topo do plano astral e à medida que continua mudar e ascender, as dimensões mais baixas serão "lançadas nas dimensões mais altas e deixam de existir". As dimensões abaixo da quinta são conhecidas como "os planos inferiores da criação" e aquelas entre a quinta e a nona são o reino médio da criação.


O processo de EVOLUÇÃO ESPIRITUAL de um ser, se reflete em sua freqüência vibratória e estrutura molecular; o espaço entre elétrons, nêutrons e prótons da estrutura atômica torna-se maior à medida que a "luz" se expande dentro do átomo e essa luz vai refletir na percepção que um ser tem de sua natureza divina inerente. Quanto mais cresce esta Luz (ou consciência), vai expandindo-se e ocupando cada espaço do átomo, mudando sua freqüência e número de oscilações; quanto mais se expande a consciência, mais se aumenta o quoeficiente de luz da estrutura celular e torna-se multidimensional.


À medida que nossas freqüências mudam (nosso DNA está sendo modificado a fim de acomodar essas mudanças e caminha para ter 12 filamentos, evoluindo, por necessidade, em 40 anos o que não evoluiu em 3 bilhões), mudam também as nossas faculdades como telepatia, cura pelo toque, clarividência, transporte para lugares distantes. Não há como evitar esta mudança, pois faz parte da evolução da Terra, mas pode-se acelerá-las. Somos instrumentos e estamos sendo afinados para operar com a nossa capacidade máxima; nossa existência vai se tornar mais harmoniosa e sincrônica, possibilitando uma vida mais feliz, repleta de magia.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

MEDITAÇÃO DA LUZ DOURADA

MEDITAÇÃO DA LUZ DOURADA
Deve-se estar sentado confortável com a coluna vertebral bem direita. Começamos por inspirar profundamente pelo nariz e expiramos pela boca. Visualizamos a inspiração em energia branca e pura e a expiração levando todas as toxinas e energias negativas em névoas negras. Seguidamente concentramo-nos na energia do universo, das estrelas, dos planetas e focalizamo-nos em inspirar essa energia, preenchendo-nos completamente com ela. Sentimos o nosso corpo envolvido e preenchido com essa energia de paz e amor universal. Mantemos esta sensação durante cerca de dois minutos e depois, lentamente, pensamos somente em inspirar paz. Pensamos na paz e concentramo-nos na respiração desse sentimento, um sentimento de paz. Quando expiramos, enviamos paz também para o universo, preenchendo-o. Fazer esta respiração durante cerca de dois minutos e está-se pronto para a Meditação da Luz Dourada. Visualizamos de seguida, que inspiramos uma luz dourada. Sentimo-la a entrar para os nossos pulmões e a espalhar-se por todo o nosso corpo. Fazêmo-lo nove vezes. Passamos a respirar regularmente pelo nariz. Depois, começamos a visualizar uma linha dourada desde a base da espinha até ao topo da cabeça. Visualizamos essa linha dourada da grossura de um fio de electricidade. Fazêmo-lo nove vezes. Visualizamos então a grossura do fio dourado a aumentar lentamente até atingir a grossura de um lápis. Sentimos a luz dourada desde a ponta da espinha até ao topo da cabeça. Novamente sentimos a expansão da grossura da luz dourada até atingir a grossura de um dedo a fluir desde o topo da cabeça até à base da espinha. Agora, sentimos a luz a expandir-se para uma coluna de luz dourada que flui desde a base da espinha até o topo da cabeça. Visualizamos esta bela coluna de luz dourada a expandir-se lentamente até nos envolver completamente todo o corpo. Ficamos a sentir, pacificamente, essa luz dourada a envolver-nos. Agora, lentamente visualizamos a coluna de luz que nos envolve, a transformar-se num grande ovo de luz dourada que nos envolve completamente. Sentimos a sua paz e também a sua protecção. Tudo o que está dentro desse ovo cintila de energia, alimenta a nossa aura de energia e fortalece-a. Ficamos durante cerca de dois minutos sentindo-nos envolvidos por esse ovo de luz dourada. Depois, começamos a visualizar o encolhimento do ovo dourado. Primeiro sentindo-o voltar à forma de coluna, e depois lentamente sentimo-la encolher até à base da espinha e ao topo da cabeça. Depois sentimo-la a encolher lentamente até ficar do tamanho de um dedo, depois de um lápis, e finalmente, da grossura dum único fio dourado. Agora, sentimos a energia desse fio dourado a fluir desde a base da espinha até ao topo da cabeça e focalizamo-nos no ponto de intersecção das linhas do terceiro olho e do topo da cabeça. Respiramos por nove vezes, sentindo a energia da luz dourada nesse local da cabeça e depois, deixamos a energia fluir de novo para a boca, estômago, baixo abdómen, deixando-a dissolver-se aí lentamente. Respiramos fundo mais umas quantas vezes e sentimos toda a paz e protecção que essa luz dourada nos proporcionou. Sentimos que podemos fazer esse exercício sempre que quisermos, envolver-nos nessa luz dourada e fortalecer a nossa aura com a sua protecção e energia.

Seguidores

Follow by Email

“O que for a profundeza do teu ser, assim será teu desejo.

O que for o teu desejo, assim será tua vontade.

O que for a tua vontade, assim serão teus atos.

O que forem teus atos, assim será teu destino.”

Brihadaranyaka Upanishad

Transforme-se em ti mesmo e descubra quem você é.

Transforme-se em ti mesmo e descubra quem você é.
Seja LUZ !!!

DEIXE A TUA LUZ BRILHAR

DEIXE A TUA LUZ BRILHAR
Desperte para a regeneração da alma e do próprio corpo físico, começando por se desintoxicar daquilo que desequilibra a tua saúde física. Depure e purifique teus pensamentos, olhando mais para o Sol da verdade, do que para as nuvens da ignorância. Quem se faz luz não teme a escuridão, nem nevoeiros passageiros. Sabe que tudo que não for essencialmente divino, passa e se transmuta. Sendo assim, transmute-se!