1 de dezembro de 2014

FUNÇÕES DO CÉREBRO HUMANO E CURIOSIDADES

Dentro do cérebro humano ocorrem as mais variadas situações, tais como: percepção, imaginação, pensamentos, julgamentos, decisões, etc.

Conhecendo o cérebro humano

A superfície do cérebro – o córtex cerebral – é composta por seis camadas de neurônios (células do sistema nervoso responsáveis pela condução do impulso nervoso).

Os lóbulos do cérebro

O cérebro possui quatro áreas conhecidas como lóbulo frontal, lóbulo parietal, lóbulo temporal e lóbulo occipital.

O lóbulo frontal é assim chamado por localizar-se na parte frontal do crânio. Ele parece ser particularmente importante por ser responsável pelos movimentos voluntários e também por ser o lóbulo mais significante para o estudo da personalidade e inteligência.

O lóbulo parietal está localizado na parte posterior do lóbulo frontal e possui uma área somatossensorial responsável pela percepção de estímulos sensoriais que ocorrem através da epiderme ou de órgãos internos.

O lóbulo temporal possui uma área especial chamada córtex auditivo, como o próprio nome já diz, está intimamente ligada à audição.

Na parte de trás da cabeça, mais precisamente na região da nuca, localiza-se o lóbulo occipital. Nele encontra-se o córtex visual, que recebe todas as informações captadas pelos olhos; melhor dizendo, sua especialidade é a visão. Existem outras áreas dos lóbulos que não possuem especialização, as chamadas córtex de associação. Além de serem conectadas a vários sentidos e movimentos, acredita-se que nelas também são processados os pensamentos e armazenadas as memórias.

Curiosidades

- A área da ciência que estuda o cérebro humano, a mente e o sistema nervoso é a Neurociência.

- O hemisfério esquerdo do cérebro dos seres humanos é o responsável pelo pensamento lógico e também pela comunicação verbal (fala).

- O hemisfério direito é o responsável pela intuição, estabelecimento de analogias e comunicação não verbal.

- Cada hemisfério do cérebro humano está relacionado a um conjunto de habilidades. Assim, o lado esquerdo é o responsável pelas seguintes habilidades: ler, usar a linguagem, seguir de instruções, localizar de fatos, identificar símbolos e escrita, escrever. Já o lado direito é o responsável pelas seguintes habilidades: musical, expressão artística, calcular (matemática), cantar, bem como pela criatividade, emoções e sentimentos.

Apesar dessa divisão, sabe-se hoje que essa questão dos hemisférios é bem mais complexa que isso.

O fato de você ter uma personalidade bem definida e agir como “você” o tempo pode levá-lo a pensar que seu cérebro muda muito pouco ao longo da vida. Na verdade, muita coisa muda no cérebro ao longo da vida – e como resultado da sua própria atividade.

Essa capacidade de reorganização do cérebro conforme o uso é chamada de plasticidade cerebral. É justamente isso que lhe proporciona guardar registros da história de vida que define “você”, por exemplo, a aprender a ler ou a dirigir, ou a modificar a representação da sua mão esquerda no cérebro quando você se torna um exímio violinista.

Em casos mais drásticos, é também a plasticidade cerebral que torna possível a reorganização funcional por trás de reaprender a andar, a falar ou a usar a mão após derrames ou infartos cerebrais, quando parte dos neurônios morrem, e até mesmo levar uma vida bastante normal quando todo um lado do cérebro é removido na infância devido a doenças congênitas.

Como o cérebro custa caro em termos de energia e nutrientes, faz sentido que seus recursos sejam desviados para aquelas funções que são usadas de maneira bem-sucedida. Como resultado, quanto menos se usa uma função cerebral, pior ela fica – ao mesmo tempo que quanto mais se usa o cérebro em um tipo de atividade, melhor ele é capaz de realizá-la. Por isso, a atividade mental rica e variada, com a prática das mais variadas funções cognitivas, é importante para manter todos os circuitos ativos e saudáveis, prontos para o uso.

Referência

24 de novembro de 2014

MÚSICA, NEUROCIÊNCIA E DESENVOLVIMENTO HUMANO

As crianças, de maneira geral, expressam as emoções mais facilmente pela música do que pelas palavras. Neste sentido, o estudo da música pode ser uma ferramenta única para ampliação do desenvolvimento cognitivo e emocional das crianças, incluindo aquelas com transtornos ou disfunções do neurodesenvolvimento como o déficit de atenção e a dislexia. A música não apenas é processada no cérebro, mas afeta seu funcionamento: a experiência musical modifica estruturalmente o cérebro. Ciência e arte compartilham o dinamismo do desenvolvimento, que não é um estado, mas um processo permanente de aprendizagem e busca de equilíbrio e abrange a capacidade de conhecer, conviver, crescer e humanizar-se com as várias dimensões da vida.” 

Na última década, houve uma grande expansão nos conhecimentos das bases neurobiológicas do processamento da música devido, em parte, às novas tecnologias de neuroimagem. Tais técnicas permitem revelar em tempo real como océrebro processa, dá sentido e emoção à impalpabilidade de sons organizados e silêncios articulados.

O processamento musical envolve uma ampla gama de áreas cerebrais relacionadas à percepção de alturas, timbres, ritmos, à decodificação métrica, melódico-hamônica, à gestualidade implícita e modulação do sistema de prazer e recompensa que acompanham nossas reações psíquicas e corporais à música. De que maneira o cérebro sincroniza durações, agrupa e cria distinções entre sons e timbres, reconhece consonância e dissonâncias, programa movimentos precisos na execução instrumental e leitura, armazena e evoca melodias familiares e ritmos?

Como tais processos modulares integram percepções múltiplas em uma experiência singular, essencialmente emocional que seduz e direciona ao mesmo tempo nossos sentidos, nosso corpo e cognição. Entender o cérebro musical pode elucidar aspectos fundamentais da mente humana, da emergência da consciência a partir da emoção, da percepção implícita à consciência autorreflexiva. Se por um lado, a neurociência tradicionalmente lida com a objetividade dos dados e sinais que cartografam o funcionamento cerebral, por outro, a música não pode ser entendida sem levarmos em conta a subjetividade, o envolvimento lúdico e a transitividade que caracterizam a arte.

Ciência e arte compartilham o dinamismo do desenvolvimento, que não é um estado, mas um processo permanente de aprendizagem e busca de equilíbrio e abrange a capacidade de conhecer, conviver, crescer e humanizar-se com as várias dimensões da vida.

Processamento Musical


A atividade musical mobiliza amplas áreas cerebrais, tanto as filogeneticamente mais novas (neocórtex) como os sistemas mais antigos e primitivos como o chamado cérebro reptiliano que envolve o cerebelo, áreas do tronco cerebral e a amígdala cerebral. As vibrações sonoras, resultantes do deslocamento de moléculas de ar, provocam distintos movimentos nas células ciliares (receptoras) localizadas no ouvido interno e são transmitidas para centros do tronco cerebral.

A frequência de vibração dos sons tem uma correspondência com a localização das células ciliadas do ouvido interno e a intensidade dos sons está diretamente relacionada ao número de fibras que entram em ação. Quanto mais intenso o som, mais fibras entram em ação.

Existe uma relação entre a localização da célula sensorial na cóclea e a frequência de vibração dos sons. A frequência que mais excita uma célula sensorial muda sistematicamente de alta (sons agudos) para baixa frequência (sons graves). Assim, os estímulos sonoros nas chamadas células ciliares são levados pelo nervo auditivo de maneira organizada ao córtex auditivo (lobo temporal).

O primeiro estágio, a senso-percepção musical, se dá nas áreas de projeção localizadas no lobo temporal no chamado córtex auditivo ou área auditiva primária responsável pela decodificação da altura, timbre, contorno e ritmo. Tal área conecta-se com o restante do cérebro em circuitos de ida e volta, com áreas da memória como o hipocampo que reconhece a familiaridade dos elementos temáticos e rítmicos, bem como com as áreas de regulação motora e emocional como o cerebelo e a amígdala (que atribuem um valor emocional à experiência sonora) e um pequeno núcleo de substância cinzenta (núcleo acumbens) relacionado ao sentido de prazer e recompensa. Enquanto as áreas temporais do cérebro são aquelas que recebem e processam os sons, algumas áreas específicas do lobo frontal são responsáveis pela decodificação da estrutura e ordem temporal, isto é, do comportamento musical mais planejado.

Há uma especialização hemisférica para a música no sentido do predomínio do lado direito para a discriminação da direção das alturas (contorno melódico), do conteúdo emocional da música e dos timbres (nas áreas temporais e frontais) enquanto o ritmo e duração e a métrica, a discriminação da tonalidade se dá predominantemente no lado esquerdo do cérebro. O hemisfério cerebral esquerdo também analisa os parâmetros de ritmo e altura interagindo diretamente com as áreas da linguagem, que identificam a sintaxe musical.

A música não apenas é processada no cérebro, mas afeta seu funcionamento. As alterações fisiológicas com a exposição à música são múltiplas e vão desde a modulação neurovegetativa dos padrões de variabilidade dos ritmos endógenos da frequência cardíaca, dos ritmos respiratórios, dos ritmos elétricos cerebrais, dos ciclos circadianos de sono-vigília, até a produção de vários neurotransmissores ligados à recompensa e ao prazer e ao sistema de neuromodulação da dor.

Treinamento musical e exposição prolongada à música considerada prazerosa aumentam a produção de neurotrofinas produzidas em nosso cérebro em situações de desafio, podendo determinar não só aumento da sobrevivência de neurônios como mudanças de padrões de conectividade na chamada plasticidade cerebral.
Música e Plasticidade Cerebral

A experiência musical modifica estruturalmente o cérebro. Pessoas sem treino musical processam melodias preferencialmente no hemisfério cerebral direito, enquanto nos músicos, há uma transferência para o hemisfério cerebral esquerdo.

O treino musical também aumenta o tamanho, a conectividade (maior número de sinapses-contatos entre os neurônios) de várias áreas cerebrais como o corpo caloso (que une um lado a outro do cérebro), o cerebelo e o córtex motor (envolvido com a execução de instrumentos). Ativação maior de áreas do hemisfério cerebral esquerdo pode potencializar não só as funções musicais, mas também as funções lingüísticas, que são sediadas neste mesmo lado do cérebro.

Vários circuitos neuronais são ativados pela música, uma vez que o aprendizado musical requer habilidades multimodais que envolvem a percepção de estímulos simultâneos e a integração de varias funções cognitivas como a atenção, a memória e das áreas de associação sensorial e corporal, envolvidas tanto na linguagem corporal quanto simbólica.

As crianças, de maneira geral, expressam as emoções mais facilmente pela música do que pelas palavras. Neste sentido, o estudo da música pode ser uma ferramenta única para ampliação do desenvolvimento cognitivo e emocional das crianças, incluindo aquelas com transtornos ou disfunções do neurodesenvolvimento como o déficit de atenção e a dislexia.
Estimulando o Cérebro Musical

O uso da música para fins terapêuticos data de tempos ancestrais e apoia-se na capacidade da música de evocar e estimular uma série de reações fisiológicas que fazem a ligação direta entre o cérebro emocional e o cérebro executivo.

A música estimula a flexibilidade mental, a coesão social fortalecendo vínculos e compartilhamento de emoções que nos fazem perceber que o outro faz parte do nosso sistema de referência.

Vários estudos revelam efeitos clínicos da música na precisão dos movimentos da marcha, no controle postural, facilitando a expressão de estados afetivos e comportamentais em indivíduos com depressão e ansiedade. Tais efeitos positivos da música têm sido observados em transtornos do desenvolvimento como o déficit de atenção, a dislexia, na doença de Parkinson, na doença de Alzheimer ou em doentes com espasticidade, nos quais a reabilitação com música ou estímulos a ela relacionados como dança, ritmos ou jogos musicais potencializam as técnicas de reabilitação física e cognitiva.

A inteligência musical é um traço compartilhado e mutável que pode estar presente em grau até acentuado mesmo em crianças com deficiência intelectual. Crianças com síndrome de Willians, um tipo de doença genética, apresentam deficiência intelectual e habilidades de percepção, de identificação, classificação de diferentes sons e de nuances de andamento, mudança de tonalidade, muitas vezes, extraordinárias.

O período do neurodesenvolvimento mais sensível para o desenvolvimento de habilidades musicais se dá nos primeiros 8 anos de vida. Estudos com potenciais evocados mostram que bebês já nos primeiros 3 meses de vida apresentam várias competências musicais para reconhecer o contorno melódico, diferenciam consonâncias e dissonâncias e mudanças rítmicas. A exposição precoce à música além de facilitar a emergência de talentos ocultos, contribui para a construção de um cérebro biologicamente mais conectado, fluido, emocionalmente competente e criativo.

Crianças em ambientes sensorialmente enriquecedores apresentam respostas fisiológicas mais amplas, maior atividade das áreas associativas cerebrais, maior grau de neurogênese (formação de novos neurônios em área importante para a memória como o hipocampo) e diminuição da perda neuronal (apoptose funcional).

A educação musical favorece a ativação dos chamados neurônios em espelho, localizados em áreas frontais e parietais do cérebro, e essenciais para a chamada cognição social humana, um conjunto de processos cognitivos e emocionais responsáveis pelas funções de empatia, ressonância afetiva e compreensão de ambigüidades na linguagem verbal e não verbal.

O avanço das correlações da música com a função cerebral exige cada vez mais, um trabalho multidisciplinar (músicos, neurologistas, educadores musicais) que dê acesso à multiplicidade de experiências musicais, lúdicas, criativas, prazerosas, na análise do impacto da música no neurodesenvolvimento. Este alcance poderá significar um resgate do sentido integrado da arte, educação e ciência e um novo status para invenção e criatividade, pois nas palavras de Drummond, o problema não é inventar, é ser inventado, hora após hora e nunca ficar pronta nossa edição convincente.

Referência

11 de novembro de 2014

JUNG E OS SÍMBOLOS

Caderno de artes da UNISANTA tema: simbolismo

Quando perguntavam a Michelangelo como ele conseguiu imprimir tanta beleza em sua escultura, ele respondia que não havia feito nada além de apenas retirar o excesso, pois a beleza estava no interior do mármore.

Carl Gustav Jung, afirmava que a beleza do ser humano se encontra em sua essência, em sua totalidade, que consiste em uma bem sucedida união do ego, ligado a nossa mente consciente e do self que é a pedra filosofal, o centro que compreende a expressão mais completa do ser humano, os dois se completam, mas ambos devem preservar suas qualidades intrínsecas, pois ao ser subjugado pelo self, o ego permanece rígido em um nível primitivo exprimindo-se somente por meio de símbolos arcaicos.

A persona é o sistema de adaptação ou a maneira que se dá a comunicação com mundo, é a atitude consciente do indivíduo, a máscara que usa perante os outros. Conceito definido para descrever uma falsa imagem global e esquemática que a pessoa utiliza em seu meio e do efeito que este exerceu sobre ela; cabe ressaltar, porém que os conteúdos desta imagem pertencem ao ser humano. É como nos comunicamos no social.
A tarefa da individuação é obter o todo, uma unidade indivisível através da união entre o consciente e inconsciente utilizando como ponte os símbolos e a fantasia ativa.

......”A vida sempre me pareceu uma planta, que vive de sua raiz. Sua verdadeira vida é invisível, escondida na raiz. A parte que desponta acima do solo dura somente um único verão. Depois fenece .... uma efêmera aparição.....”Carl Gustav Jung

Para Jung plasticidade e versatilidade estavam ligadas a vida. As metamorfoses que ocorrem em sua essência é que fazem o ser humano imortal. Assim como sinto a presença dele (Jung) ainda viva em nossos tempos.

Conhecer-se significa familiarizar-se com um vasto número de representações psíquicas de contextos geográficos, históricos e culturais, ou seja, o indivíduo constitui-se psicologicamente uma unidade separada e ao mesmo tempo unida à humanidade toda.

A consciência conta com vários focos possíveis de subjetivação, do ponto de vista da energia diferentes funções traduzem o movimento predominante da libido; baseado no esquema da “bússola” da psique, ele divide o indivíduo em pólos. Para orientar-nos necessitamos de uma função que constate “QUE ALGO É “ - Sensação, uma Segunda função que estabeleça “O QUE É“ – Pensamento, uma terceira “QUE DECIDA” se isso nos convém ou não, e se desejamos aceitá-lo ou não - Sentimento e uma Quarta função que indique de “ONDE PROVÉM E PARA ONDE VAI” – Intuição.

Fantasia ativa que representa a unidade de vários pares de opostos: Introversão/extroversão, o sentimento/pensamento e a intuição/sensação.

A princípio Jung relacionou introversão com o ser pensante e extroversão com o ser sentimental, modificando esta posição ao perceber que as civilizações ocidentais favoreciam o extrovertido em detrimento do introvertido. Em sua conclusão estas tipologias ganharam um novo enfoque: Extrovertidos - possuem fascinação pelo mundo exterior, interesse por pessoas, preocupação com o presente, suas decisões são comandadas pelos fatos e não por valores subjetivos enquanto os Introvertidos - possuem preocupação com o mundo interior, em planejar o futuro, e interesse nas leis que regem o mundo; natureza refletida que o impele a hesitar excessivamente antes de agir , dificultando sua adaptação ao mundo exterior. Na verdade a busca é sempre da união dos pólos e ao mesmo tempo sua conservação, interligando os tempos: Passado, Presente e Futuro, pois um não existe sem o outro; fica sem consistência.

Ciência é uma função do intelecto e todas as demais funções psicológicas estão a ele subordinadas como objetos. O intelecto é soberano do reino científico, mas ficar preso ao conhecimento científico significa reduzir pouco a pouco a qualidade à quantidade o concreto ao abstrato e esvaziar a realidade de todo conteúdo, de toda espontaneidade. A “ciência intelecto” é uma ferramenta essencial para o objetivo da psicologia analítica, porém só pode ser útil com ética.

A verdadeira educação está vinculada a ativação da alma, a viver com arte, que exige o ser completo, inteiro, toda sua qualidade humana. O pensamento, a mania de saber, tão característica da nossa cultura, já está inscrita na figura mitológica de Édipo, pois para decifrar o enigma da esfinge é necessário ultrapassar a razão e seguir a força do inconsciente e enfrentar os nossos temores à eles, sair do pensamento lógico e partir para as metáforas, símbolos, imagens; como fazem as crianças, livres conseguem muitas vezes surpreender os adultos com suas soluções até lógicas mediante suas brincadeiras e descontração. Para Jung a sabedoria só tem validade a medida em que conseguimos aplicá-la em toda sua plenitude.

Convivemos com enigmas da Esfinge a todo o momento, mas por alguma razão nos recusamos a ir de encontro com o desconhecido, nos prendemos aos padrões, esquecendo-nos de que somos nós os produtores do que nos rodeia, ou seja, seres questionadores e interpretadores de símbolos
A criação de algo novo não é realizada pelo intelecto, mas pelo instinto lúdico, agindo por necessidade intrínseca. A mente criativa joga com o objeto que ama.

...”Mas o que pode o homem criar se por acaso não for poeta? Se você não tiver absolutamente nada para criar, então talvez crie a si próprio”. Carl Gustav Jung

Jung valorizava a arte, o criativo, o lúdico, as imagens, observava as fantasias como partes integrante de suas influência no presente. A fantasia é a grande chave mestra de nossa psique, que representa a força vital de nosso organismo. É por meio da fantasia que o ser consegue ampliar os horizontes e se comunicar com o mundo de forma irrestrita, pois os símbolos dão vida as imagens, fazendo uma união entre as realidades psíquica e consciente.

No período que estava com Freud, Jung começou a desenvolver um estudo sobre grupos de conteúdos psíquicos, que desvinculados da consciência passavam para o inconsciente onde continuavam, em uma existência relativamente autônoma tendo influência sobre a conduta. Observando a similaridade entre os sonhos dos indivíduos Jung descobriu que existia uma área em nossa psique onde estariam estes elementos como: figuras, símbolos e conteúdos de caráter universal que denominou arquétipos.

Os arquétipos derivam também da observação reiterada de que os mitos e os contos da literatura universal encerram temas bem definidos que reaparecem sempre e por toda a parte. São formas sem conteúdo próprio que servem para canalizar o material psicológico, formas universais de pensar carregada de tons afetivos; apreensão intuitiva, à imagem do instinto, o que permite a ação e possibilita a vivência de novas situações, centros de energias psíquica, encontrado, com muitas variantes no campo da mitologia e da religião comparada, e forma a base de numerosas representações coletivas. Podem estar ligados a nascimento, morte, poder e submissão.

Inconsciente Coletivo é a matriz de todas as produções culturais, depósito de experiências ancestrais acumuladas por milhões de anos, ecos de acontecimento desde os primórdios dos tempos enriquecido a cada século. É como ar, que é o mesmo em todo lugar, é respirado por todos e não pertence a ninguém. Na medida que é atemporal nos faz renascer e o renascimento trás um sentimento de eternidade e imortalidade.

Os arquétipos e os instintos constituem o inconsciente coletivo que ao contrário do inconsciente pessoal não é constituído de conteúdos individuais, que não se repetem, mas de conteúdos que são universais e aparecem regularmente; constituem como que uma condição ou base da psique em si mesma, condição onipresente, idêntica a si própria em toda parte.

Sincronicidade é um termo criado por Jung, que exprime uma coincidência significativa ou uma correspondência; quando um acontecimento psíquico e um acontecimento físico não ligados por uma relação causal. Tais fenômenos de sincronicidade aparecem quando fenômenos interiores (sonhos, visões, premonições) parecem ter uma correspondência na realidade exterior. A imagem interior ou a premonição mostrou-se verdadeira, porém existem também idéias análogas ou idênticas que ocorrem em lugares diferentes, sem a causalidade que possa explicar e outras manifestações. Ambas parecem ter relações com processos arquetípicos do inconsciente coletivo.

...” O sonho é uma porta estreita, dissimulada naquilo que alma tem de mais obscuro e íntimo; essa porta se abre para a noite cósmica original, que continha a alma muito antes da consciência do Eu e que a perpetuará muito além daquilo que a consciência individual poderá atingir. ...” Jung

Através do sonho pode-se penetrar na parte mais profunda, mais verdadeira, onde o universo está unificado . É a expressão mais espontânea da existência do ser humano.

Sombra personifica o que o indivíduo recusa a conhecer ou a admitir, e que, no entanto sempre se impõe a ele, direta ou indiretamente. É a soma de todos os elementos psíquicos pessoais e coletivos que, incompatíveis com a forma de vida conscientemente escolhida, não foram vividas formando uma personalidade autônoma, com tendência opostas às do consciente.

Jung fortaleceu nossa ambivalência com o conceito - Anima/Animus – Personificação da natureza feminina do inconsciente do homem (anima) e da natureza masculina do inconsciente da mulher ( animus), é o amor em relação ao sexo oposto para integrar os conteúdos da figura. Também possuem um aspecto positivo e negativo. O anima do homem procura unir e juntar, engendra sentimentos espontâneos o animus na mulher procura diferenciar e reconhecer.

Não poderia deixar de falar na Mandala – círculo mágico, na obra de Jung, símbolo do centro e do si-mesmo, enquanto totalidade psíquica; auto-representação de um processo psíquico de centralização da personalidade, produção de um centro novo desta última. A mandala exprime-se, simbolicamente, por um círculo, um quadrado ou um quatérnico, num dispositivo simétrico do número quatro e de seus múltiplos.

Na ioga tântrica, a mandala é um instrumento de contemplação (iantra), lugar de nascimento dos deuses. O arquétipo em situação de perturbação constela como compensação, representa um esquema ordenador que vem, de algum modo colocar-se acima do caos psíquico, como um círculo dividido em quatro partes iguais, ajudando cada conteúdo a encontrar seu lugar e contribuindo para manter a coesão. Existem inclusive danças folclóricas, em que há uma representação da mandala: em que há uma roda que se movimenta em torno de um ponto central, um afastamento em direção a quatro pontos, e um retorno ao centro, utilizadas também para harmonização, e equilíbrio.

Jung desvendou o ser humano, ou melhor abordou de forma fascinante o ser humano em sua completa totalidade. Somos a busca do inconsciente e da realidade objetiva, do radical ao flexível, do poder à submissão, da dureza a fragilidade. Enfim o ser humano inteiro em constante metamorfose de sua essência.

O criador ativo participante do movimento cósmico do universo, compartilhando desejos coletivos compatibilizados com seus desejos reais e concretos. O ser atuante que movimenta e é lançado ao mundo, condutor de sua estrada em direção ao encontro de sua existência e do significado.

*Oleni de Oliveira Lobo é psicóloga com especialização em Psicodrama Terapêutico, pós-graduada em Gestão da Qualidade, consultora em recursos Humanos e professora da Faculdade de Comunicação da Universidade Santa Cecília (UNISANTA). Realiza implantação dos Recursos humanos nas organizações, ministra treinamentos de qualificação atendimento, criatividade, desenvolvimento liderança , 5 ´s um passo a qualidade total e outros.

Referência
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Fordham, Frieda – Introdução à Psicologia de Jung – Editora Edusp - 1961

Jung, C.G. – Aion –Estudos sobre o Simbolismo do Si-Mesmo - Editora Vozes – 1982

Jung, C.G. – Psicologia do Inconsciente – o Eu e o Inconsciente – Editora Vozes - 1978

Jung, C.G. – Psicologia e Religão – Editora Vozes - 1978

Maroni, Amnéris – Jung : O poeta da Alma –Editora summus – SP , 1998

28 de outubro de 2014

DIVIDIR PARA CONQUISTAR

Uma guerra que tem como alicerce, a falta de respeito e de tolerância perante as diferenças e crenças dos outros... E ainda por cima com uma dose de "Necessidade de Posse" cruel.
A mente humana é a causa de todas as guerras e de todas as mazelas.

Uma guerra que poderia ser terminada, caso os seres humanos fossem capazes de seguir esta máxima: AMAR AO PRÓXIMO COMO A NÓS MESMOS, onde devemos aceitar as escolhas de cada um e evitar julgar uns aos outros, pois as diferenças são extremamente importantes para uma sociedade sadia e com constante evolução.

Mais a pergunta é: Você julga, você desrespeita, você não tolera, você acha que algum pedaço de terra neste planeta pode pertencer aos homens?

Se a resposta for sim, parabéns você está ajudando a alimentar esta guerra que todos falam!

Se a resposta for não, parabéns você conseguiu vencer suas guerras internas e superou toda uma programação mental que querem que você tenha!

Às vezes julgo, não tolero muitas coisas e paro para pensar... Mas estou buscando formas de mudar isto! E se cada um dos que responderam SIM buscarem a auto-observação e pensarem por si próprios, vão ver que o caminho no começo pode parecer estranho (Pois você está "contra o fluxo"), mas quando você estiver totalmente imerso nesta nova realidade, muito provavelmente a guerra estará no fim, pois seu mundo refletirá em seu bairro, cidade, país, no planeta e no Universo,

Sei que há um SISTEMA DITATORIAL!
Seja ele de direita ou esquerda política. Seja religioso ou quaisquer que sejam.
O que precisa imperar é a liberdade e igualdade de direitos e oportunidades para que todos possam ter uma vida plena.
Alguns acreditam que uma chance de mudança foi perdida, estão desolados... pode até ser...mas nesse aspecto precisamos tentar enxergar um todo, onde uma pessoa que comandar qualquer país, será comandada, influenciada... e a pior luta é contra elas mesmas. Essa batalha é a mais trabalhosa!!

A solução começa com um povo mais educado, educação essa de não menosprezar ou discriminar, mas pensar e agir com intuito de uma melhora coletiva e não pessoal. Algo complicado se tratando de nós humanos altamente egoístas, mas particularmente creio ser o caminho da evolução de uma nação.

Quando você muda, o mundo todo muda!
Seja para melhor ou para pior... pense nisso!!

Existem muitos problemas a serem solucionados no Brasil e no planeta, a causa deles ainda é a CONSCIÊNCIA HUMANA!!

1 de outubro de 2014

AS SETE LEIS HERMÉTICAS

As sete principais leis herméticas se baseiam nos princípios incluídos no livro Caibalion que reúne os ensinamentos básicos da Lei que rege todas as coisas manifestadas. A palavra Caibalion, na língua hebraica significa tradição ou preceito manifestado por um ente de cima. Esta palavra tem a mesma raiz da palavra Kabbalah, que em hebraico, significa recepção.

Lei do Mentalismo
"O Todo é Mente; o Universo é mental."

O universo funciona como um grande pensamento divino. É a mente de um Ser Superior que 'pensa' e assim é tudo que existe. É o todo. Toda a criação principiou como uma ideia da mente divina que continuaria a viver, a mover-se e a ter seu ser na divina consciência.

A matéria é como os neurônios de uma grande mente, um universo consciente e que 'pensa'. Todo o conhecimento flui e reflui de nossa mente, já que estamos ligados a uma mente divina que contém todo o conhecimento.

Lei da Correspondência
"O que está em cima é como o que está embaixo. E o que está embaixo é como o que está em cima"

A perspectiva muda de acordo com o referencial. A perspectiva da Terra normalmente nos impede de enxergar outros domínios acima e abaixo de nós. A nossa atenção está tão concentrada no microcosmo que não nos percebemos o imenso macrocosmo à nossa volta.

O princípio de correspondência diz-nos que o que é verdadeiro no macrocosmo é também verdadeiro no microcosmo e vice-versa.

Lei da Vibração
"Nada está parado, tudo se move, tudo vibra"

No universo todo movimento é vibratório. O todo se manifesta por esse princípio. Todas as coisas se movimentam e vibram com seu próprio regime de vibração. Nada está em repouso. Das galáxias às partículas sub-atômicas, tudo é movimento.

Todos os objetos materiais são feitos de átomos e a enorme variedade de estruturas moleculares não é rígida ou imóvel, mas oscila de acordo com as temperaturas e com harmonia. A matéria não é passiva ou inerte, como nos pode parecer a nível material, mas cheia de movimento. ou seja, tudo é energia e está em constante movimento.

Lei da Polaridade
"Tudo é duplo, tudo tem dois pólos, tudo tem o seu oposto. O igual e o desigual são a mesma coisa. Os extremos se tocam. Todas as verdades são meias-verdades. Todos os paradoxos podem ser reconciliados "

A polaridade revela a dualidade, os opostos representando a chave de poder no sistema hermético. Mais do que isso, os opostos são apenas extremos da mesma coisa. Tudo se torna idêntico em natureza. O pólo positivo + e o negativo - da corrente elétrica são uma mera convenção.

O claro e o escuro também são manifestações da luz. A escala musical do som, o duro versus o flexível, o doce versus o salgado. Amor e o ódio são simplesmente manifestações de uma mesma coisa, diferentes graus de um sentimento.

Lei do Ritmo
"Tudo tem fluxo e refluxo, tudo tem suas marés, tudo sobe e desce, o ritmo é a compensação"

Pode se dizer que o princípio é manifestado pela criação e pela destruição. É o ritmo da ascensão e da queda, da conversão energia cinética para potencial e da potencial para cinética. Os opostos se movem em círculos.

É a expansão até chegar o ponto máximo, e depois que atingir sua maior força, se torna massa inerte, recomeçando novamente um novo ciclo, dessa vez no sentido inverso. A lei do ritmo assegura que cada ciclo busque sua complementação. tudo ocorre para que seja mantido o equilibrio.

Lei do Gênero
"O Gênero está em tudo: tudo tem seus princípios Masculino e Feminino, o gênero se manifesta em todos os planos da criação"

Os princípios de atração e repulsão não existem por si só, mas somente um dependendo do outro. Tudo tem um componente masculino e um feminino independente do gênero físico. Nada é 100% masculino ou feminino, mas sim um balanceamento desses gêneros.

Existe uma energia receptiva feminina e uma energia projetiva masculina, a que os chineses chamavam de yin yang. Nenhum dos dois pólos é capaz de criar sem o outro. É a manifestação do desejo materno com o desejo paterno.

Lei de Causa e Efeito[editar | editar código-fonte]
"Toda causa tem seu efeito, todo o efeito tem sua causa, existem muitos planos de causalidade mas nenhum escapa à Lei"

Nada acontece por acaso, pois não existe o acaso, já que acaso é simplesmente um termo dado a um fenômeno existente e do qual não conhecemos e a origem, ou seja, não reconhecemos nele a Lei à qual se aplica.

Esse princípio é um dos mais polêmicos, pois também implica o fato de sermos responsáveis por todos os nossos atos. No entanto, esse princípio é aceito por todas as filosofias de pensamento, desde a antiguidade. Também é conhecido como karma.

Da Energia Latente no Ser Humano

Ser Humano (Ser) é Energia. Essa Energia é força de maior intensidade, de menor intensidade e de zero intensidade.

O Ser ativo, participativo, solidário, ético, optativo e decisivo é um Ser de Energia de intensidade alta, grande, maior.

Um Ser inativo, egoísta, passivo, corruptor, inoptativo e indeciso é um Ser de Energia de intensidade baixa, rasa, sofrível.

Um Ser doente, em fase terminal, é um Ser de intensidade de Energia igual a zero.

Um Ser que faz o mal, vive para o mal, pratica o mal, venera o mal, participa para o mal, tem o pensamento voltado para o mal, ludibria a vontade alheia em proveito próprio, tem uma Energia de intensidade sofrível.

Um Ser que é benevolente, que pratica boas ações, que venera o bem, faz o bem sem olhar a quem, ajuda ao próximo, tem o pensamento voltado para a prática do bem, é altruísta, provoca a paz entre os homens, tem uma Energia de intensidade maior.

Um esquema para melhor entender esse homem de Energia sofrível: A Elipse é aberta em ordenadas e abscissas negativas.

Um esquema para melhor entender esse homem de Energia maior: A Elipse é fechada em ordenadas e abscissas positivas.

Um esquema para melhor entender esse homem de Energia zero: A Elipse tem abscissas e ordenadas iguais.

15 de setembro de 2014

O CÉREBRO ACORDADO ENQUANTO VOCÊ DORME

Partes de seu cérebro continuam a funcionar quando você está dormindo, os pesquisadores da Ecole Normale Supérieure em Paris e na Universidade de Cambridge descobriram.

Eles gravaram o EEG (ondas cerebrais) de participantes humanos enquanto eles estavam acordados depois que eles foram instruídos a classificar palavras faladas como animais ou objetos, pressionando um botão, usando a mão direita para os animais e a mão esquerda para objetos.

Uma vez que os participantes dormiam, os testes continuaram, mas com uma lista totalmente nova de palavras para garantir que as respostas exigiria a extração da palavra que significa mais do que um simples emparelhamento entre o estímulo e a resposta. Observações de atividade cerebral dos pesquisadores mostraram que os participantes continuaram a responder com precisão às palavras (embora mais lentamente) enquanto dormiam.

O estudo também se estende trabalhos anteriores sobre o processamento subliminar, mostrando que o processamento da fala e outras tarefas complexas "pode ​​ser feito não só sem estar consciente do que você percebe, mas [também] sem estar ciente de todo." Sid Kouider da Ecole Normale Supérieure suspeita que tal processamento inconsciente não é limitada pela complexidade da tarefa, mas se ele pode ser feito automaticamente ou não.

Referência

5 de setembro de 2014

A CIDADE PERDIDA DE ATLÂNTIDA

Dizem que a cidade perdida de Atlântida foi lar de uma civilização avançada há mais de 12.000 anos atrás. Alguns acreditam que aqueles que ali viveram teriam sido capazes de viajar para o espaço. A lenda diz que a cidade desapareceu de formam instantânea, sugada violentamente para dentro do oceano. Durante séculos, exploradores e arqueólogos têm tentado localizar restos desta cidade perdida. A equipe de MysteryQuest, utilizando tecnologia de "Sonar", revela novas evidências de que estas estruturas se encontram sob a água. 

29 de agosto de 2014

ELETROMAGNETISMO-A UNIFICAÇÃO DA ELETRICIDADE E MAGNETISMO

Desde a Grécia antiga que os fenômenos sobre a eletricidade e magnetismo detêm a atenção da humanidade. Com o passar dos séculos muitos estudos e teorias foram sendo acumuladas quando no início do século XVII, as primeiras conclusões com caráter científico sobre assuntos ligados ao eletromagnetismoforam sendo anunciadas, como os trabalhos de William Gilbert (1544 – 1603), que em seu livro “Sobre os ímãs, os corpos magnéticos e o grande imã terrestre” explicou o porquê de a bússola sempre apontar para o norte.

Definição de eletromagnetismo

Eletromagnetismo | A unificação da eletricidade e magnetismo
Na Física, eletromagnetismo é como é chamada a teoria unificada desenvolvida por James Maxwell para explicar a relação entre a eletricidade e o magnetismo. Esta teoria baseia-se no conceito de campo eletromagnético.

O campo magnético é resultado do movimento de cargas elétricas, ou seja, é resultado de corrente elétrica. O campo magnético pode resultar em uma força eletromagnética quando associada a ímãs.A variação do fluxo magnético resulta em um campo elétrico (fenômeno conhecido por indução eletromagnética, mecanismo utilizado em geradores elétricos, motores e transformadores de tensão). Semelhantemente, a variação de um campo elétrico gera um campo magnético. Devido a essa interdependência entre campo elétrico e campo magnético, faz sentido falar em uma única entidade chamada campo eletromagnético.

A unificação da eletricidade e do magnetismo

Na imagem vemos o um circuito de Oersted, que demonstra princípios do eletromagnetismo

Entre 1820 e 1830 Faraday e Ampere mostraram que a eletricidade e o magnetismo eram dois aspectos de uma única força – o eletromagnetismo.

Tal interação é muito importante porque é responsável por qualquer ligação química, e se aplica até aos fenômenos de impulsos nervosos, e, por isso e outros aspectos é chamada de “força da vida”. Vale ressaltar que o eletromagnetismo está relacionado ao movimento da carga elétrica, e ao primeiro movimento de um elétron é possível encontrar uma força magnética que não se aferia anterior a tal movimentação da carga. Essa força pode ser facilmente detectada com o uso de uma agulha magnética (bussola) posta próxima do elétron que se move. Tal experimentação foi feita por Oersted que constatou ser verídico esse fenômeno. Este experimento pode ser visto esquematicamente imagem ao lado.

Os séculos XVII, XVIII e XIX podem ser considerados os séculos “dourados” do eletromagnetismo, e isso é devido aos trabalhos de cientistas como Ampère, Georg Simon Ohm (1789 – 1854), Faraday, e muitos outros que contribuirão para a consolidação do eletromagnetismo.
Trabalhos de Ampère e Faraday no eletromagnetismo

Entusiasmado depois de assistir uma apresentação do físico dinamarquês Oersted, onde este apresentara um trabalho que era resultado de uma experiência feita por ele, o então jovem físico Ampère iniciou várias experimentações que reafirmaram aquilo que Oersted já havia mostrado e ainda descreveu uma lei que regia o fenômeno observado.

O trabalho de Ampère foi semelhante ao de Oersted, e os primeiros resultados tratados por ele referiam-se a intensidade magnética entre dois fios retilíneos dispostos em paralelos.

Mais tarde Ampère anunciou o resultado mais significativo de seu trabalho, dizendo que a intensidade da circulação magnética nas redondezas de um fio é proporcional à intensidade da corrente elétrica total que o atravessa.

A conclusão de Faraday

Em um experimento o cientista Michael Faraday enrolou 70 m de fio de cobre sobre um pedaço de madeira e colocou um galvanômetro no circuito. Fez a mesma coisa em outro fio, porém neste ele inseriu uma bateria. O resultado a princípio mostrou-se bastante frustrante, pois a corrente estacionaria que percorria o segundo circuito não afetava o galvanômetro que estava ligado ao primeiro. Mas algo lhe chamou a atenção, pois quando a corrente que percorria o segundo circuito era cessada havia registro no galvanômetro ligado ao primeiro circuito, e o mesmo efeito era observado quando a corrente era restabelecida no segundo. Logo a conclusão aferida por Faraday foi que a corrente era induzida pela variação do campo magnético.

O uso em larga escala da energia elétrica, que revolucionou toda a sociedade industrial, tornou-se possível graças à descoberta, por Faraday, do fenômeno da indução eletromagnética.

Com essas observações Faraday pode concluir que a indução de uma corrente elétrica dependia apenas da variação do fluxo magnético que passava pelas proximidades de um circuito, e que essa variação poderia ser originada tanto do movimento do gerador do campo magnético permanente quanto do movimento do próprio fio em relação ao ímã.

Consolidação do eletromagnetismo

Com os resultados obtidos por Ampère e Faraday ficou evidente que a eletricidade e o magnetismo possuíam certa equivalência. Então se ambos possuem relações tão intrínsecas, a junção dos mesmos se fez necessária, o que propiciou uma interpretação mais geral e completa dos fenômenos afins. É nesse contexto de unificação da eletricidade e magnetismo que o físico Britânico James Clerk Maxwell[1] em 1861 unificou as leis que regiam tanto a eletricidade quanto o magnetismo, chamando esse conjunto de leis de Eletromagnetismo.

Contudo o eletromagnetismo pode ser resumido em quatro leis – que resultam em quatro equações, as chamadas equações de Maxwell – e que descrevem de maneira geral todos os fenômenos eletromagnéticos.

A primeira lei é conhecida por lei de Gauss (nome decorrente a uma homenagem feita ao matemático e físico alemão Carl Friedrich Gauss (1777- 1855)).

\nabla\,\mathrm{.}\,\vec D\,=\,\rho
A equação acima descreve as relações existentes entre os campos elétricos e as cargas geradoras de tais campos, onde:
  • \nablaé o operador diferencial “nabla”;
  • \vec Dé o deslocamento elétrico;
  • \rhoé a densidade de carga.
A segunda é a “lei de Gauss – magnetismo”, aonde esta afirma, ou seja, o campo magnético é produzido por dipolos que nunca poderão se dissociar de tal forma que sempre estarão presentes o polo norte e o polo sul.
\nabla\,\mathrm{.}\,\vec B\,=\,0
A equação acima representa o fato de que monopolos magnéticos[2] nunca foram observados, onde:
  • \nabla é o operador diferencial “nabla”;
  • \vec D é o vetor campo magnético.
A terceira lei, também chamada de “lei de Faraday” afirma que a variação de um fluxo magnético no decorrer do tempo é capaz de induzir uma corrente elétrica em um fio condutor.\nabla\,\times\,\vec E=\,-\,\frac{\partial\vec B}{\partial t}
A equação acima expressa matematicamente o fenômeno de indução eletromagnética, onde:
  • \nabla  é o operador diferencial “nabla”;
  • \vec D é o vetor campo elétrico;
  • \frac{\partial\vec B}{\partial t} forma infinitesimal da variação do fluxo do campo magnético em um intervalo de tempo.
A quarta lei é a de Ampère, e afirma que um campo magnético pode ser gerado de duas maneiras distintas.
\nabla\,\times\,\vec H\,=\,\vec J+\frac{\partial\vec D}{\partial t}
A equação acima explicita que um campo magnético é gerado tanto por uma corrente elétrica quanto pela variação do campo elétrico em um dado intervalo de tempo, onde:
  • \nabla é o operador diferencial “nabla”;
  • \vec H é o vetor campo magnético indutor;
  • \vec J é a densidade de corrente elétrica;
  • \frac{\partial\vec D}{\partial t} é forma infinitesimal da variação do fluxo de um campo elétrico em um determinado intervalo de tempo.
O olhar criterioso sobre estas leis mostra que o grande feito de Maxwell foi reunir leis já preexistentes que tratavam dos fenômenos elétrico e magnético de maneira separada em apenas uma série elegante de equações que descreve os mesmos fenômenos de maneira única e inter-relacionada, dando então origem ao eletromagnetismo.

Referências e bibliografia
Ciências e Tecnologia
P.A. Tipler, G. Mosca (2008). Physics for Scientists and Engineers: With Modern Physics (6th ed.). W.H. Freeman and Co.
GASPAR, A. Física. Volume único. 1ª edição. São Paulo: Ática, 2005.
NUSSENZVEIG, H. M. Curso de Física básica – Vol. 3. 1ª edição. São Paulo: Blucher, 1997.

28 de agosto de 2014

ENERGIA SOLAR:AGORA SUA JANELA PODERÁ SE TORNAR UM PAINEL SOLAR


Produzir energia limpa é um dos grandes desafios da atualidade. Algumas alternativas, como a energia solar, já existem, mas encontram barreiras como custo de implementação, o que torna seu uso absurdamente caro. Contudo, uma equipe de pesquisadores da Universidade Estadual de Michigan, nos Estados Unidos, desenvolveu um novo tipo de receptor solar que pode resolver esse problema e popularizar a energia solar.
Esse novo receptor consiste em um dispositivo que, quando colocado sobre uma janela onde bata sol, é capaz de captar a luz e transformá-la em energia, sem que a visão através da janela fique obstruída.

Ele é chamado de “concentrador solar luminescente transparente” e pode ser usado em edifícios, aparelhos celulares e qualquer outro dispositivo que tenha uma superfície clara.
Energia solar acessível: um sonho que se realiza?
De acordo com Richard Lunt, da Faculdade de Engenharia da Universidade de Michigan, a palavra-chave que resume a genialidade deste dispositivo é “transparente”.
A pesquisa sobre a produção de energia a partir de células solares colocadas em torno de materiais de plástico do tipo luminescentes não é nova. Estes esforços passados, no entanto, têm rendido resultados ruins, de forma que a produção de energia era ineficiente e os materiais eram altamente coloridos. E isso trás um problema óbvio: ninguém quer ficar sentado perto de um vidro colorido. Isso torna os ambientes cansativos. A comparação que o professor Lunt faz expressa muito bem o problema: seria como trabalhar em uma discoteca. Fica difícil de popularizar uma tecnologia assim, que gera um desconforto tão imediato.
Sabendo disso, os engenheiros trabalharam para resolver esse problema, com o desafio de tornar a própria camada ativa do receptor transparente.
O sistema de recepção e armazenamento de energia solar utiliza pequenas moléculas orgânicas desenvolvidas pelo professor Lunt e sua equipe para absorver comprimentos de onda específicos e não visíveis de luz solar. Segundo eles, os materiais utilizados na fabricação desse dispositivo podem ser ajustados para captar apenas as ondas ultravioletas e outras ondas infravermelhas que tenham comprimentos de onda próximos.
O “espelho” de luz infravermelha é guiado para a extremidade do plástico, onde é convertido em eletricidade por finas tiras de células solares fotovoltaicas. Como os materiais não absorvem ou emitem luz no espectro visível, eles parecem excepcionalmente transparentes ao olho humano, explica o professor Lunt
.

Vantagem

Além de o meio ambiente agradecer (e muito), uma outra vantagem deste novo dispositivo é a sua flexibilidade. Enquanto a tecnologia está em um estágio inicial, ela tem o potencial de ser escalada para aplicações comerciais ou industriais, com um custo acessível.
As possibilidades de implantar um sistema de energia solar de forma não intrusiva agora são muito maiores. Edifícios altos, janelas de qualquer tamanho ou qualquer tipo de dispositivo móvel podem se adaptar a essa ideia.
Futuro

Lunt disse que mais trabalho é necessário a fim de melhorar a eficiência de produção de energia solar. Atualmente, ela é capaz de produzir uma eficiência de conversão de energia solar de cerca de 1%, mas Lunt observou que o grupo pretende atingir eficiência acima de 5% quando a captação estiver totalmente otimizada. O valor ideal de conversão, segundo o professor responsável pelo projeto, é de 7%. [sciencedaily]

Fonte: hypescience

22 de agosto de 2014

ANTIGO CONHECIMENTO CIENTÍFICO, HISTÓRICO, EQUÍVOCOS E MANIPULAÇÃO DE INFORMAÇÕES

O conhecimento é para ser distribuído, então compartilho um documentário fabuloso, rico de informações.
A existência é uma lição.Tudo que acontece nos ensina o que precisávamos saber. Basta observar os detalhes do antes e do depois.
A morte começa no instante em que se desiste de aprender.
Vamos desenvolver os sentidos e a percepção, para continuar ampliando a consciência.





18 de agosto de 2014

INTERRUPÇÃO DE SANGUE-CÉREBRO-BARREIRA COM ALTA FREQUÊNCIA PULSADA COM CAMPOS ELÉTRICOS

A microvasos cortical  corado para a proteína
do sangue-cérebro-barreira.
Uma equipe de pesquisadores da Virginia Tech e Acorde Escola de Engenharia Biomédica e Ciências Forest University desenvolveram uma nova técnica para a utilização de energia elétrica pulsada para abrir a-barreira hematoencefálica (BHE) para o tratamento de câncer no cérebro e distúrbios neurológicos.

Seu procedimento Vascular Ativado pulso Integrado Nanosecond (veia do pulso) consiste na inserção de eletrodos de agulha minimamente invasivos para o tecido doente e aplicar várias rajadas de 850 nanossegundos energia elétrica pulsada com polaridade alternada.

Os investigadores pensam que as rajadas perturbar proteínas de junções apertadas responsáveis ​​por manter a integridade da BHE, mas sem causar danos no tecido circundante.

Esta técnica será descrita na próxima edição da revista TECNOLOGIA .

Tratamento de doenças cerebrais

Para o tratamento de cancro do cérebro, "veia impulsos pode ser aplicada ao mesmo tempo como biopsia ou através da mesma via que a sonda de biópsia, a fim de minimizar os danos ao tecido saudável, limitando o número de inserções de agulha," diz Rafael V. Davalos , Ph.D, diretor do Laboratório de Sistemas Bioelectromechanical na Virginia Tech.

O BBB é uma rede de junções apertadas, que normalmente age para proteger o cérebro de substâncias estranhas, impedindo-os de vazamento de vasos sanguíneos em estruturas neurais. Mas isso também limita a eficácia de medicamentos para tratar doenças cerebrais. Temporariamente abertura da BBB é uma maneira de assegurar que os fármacos podem ainda ser eficaz.
Evidência patológica e ressonância magnética de sangue-cérebro-barreira (BBB) ​​perturbação induzida pela veia (Vascular Ativado Nanosecond Integrado) sistema de geração de pulso. Dois eléctrodos de agulha minimamente invasivas com um milímetro de comprimento activo foram espaçadas de 4,0 milímetros para além e inserido no hemisfério cerebral direito 1,5 milímetros abaixo da superfície da dura-máter. Uma rajada de impulsos 200, 500 ns duração quadrados de polaridade alternada com uma relação de tensão-de-distância de 250 V / cm aplicada através dos eléctrodos. No caso acima, rajadas foram repetidas uma vez por segundo durante 10 min. A extensão de certificação perturbação é mostrado pela linha pontilhada circundante Evans azul-albumina absorção complexa na preparação fatia cerebral bruto (à esquerda) e a correspondente imagem fluorescente (meio). Além disso, as áreas de certificação interrupção aparecer como hiperintensas (branco) no exame de ressonância magnética ponderadas em T1, devido à absorção de um azul tracer gadolínio-Evans. A barra de escala representa 5 milímetros. (Crédito: John H. Rossmeisl Jr., Neurologia e Neurocirurgia, Virginia-Maryland Faculdade de Medicina Veterinária e Escola Regional Forest University Virginia Tech-Wake de Engenharia Biomédica e Ciências).


A pesquisa também mostra que os pulsos da veia pode ser aplicada, sem provocar contracções musculares, o que pode desalojar os eléctrodos e exigem o uso de um neuroblocker e anestesia geral. De acordo com Christopher B. Arena, Ph.D., co-autor principal do artigo, "o fato de que o suplente pulsos de polaridade ajuda a evitar a indesejável movimento, induzido eletricamente. Portanto, pode ser possível realizar este procedimento sem a utilização de um neuroblocker e com pacientes sob sedação consciente. Isto é semelhante à forma como a estimulação cerebral profunda é implementado clinicamente para tratar a doença de Parkinson ".

A equipe agora planeja traduzir a tecnologia em aplicações clínicas através de uma empresa universidade spin-out, VoltMed, Inc.

Pesquisadores da Virginia-Maryland Faculdade de Medicina Veterinária Regional , onde também envolvidos no estudo.

Esta pesquisa foi apoiada em parte por doações do National Science Foundation, o Golfers Contra o Cancro, eo Center for Biomolecular imagem no Wake Forest School of Medicine.

Resumo de Tecnologia papel
A-barreira hematoencefálica (BHE), uma rede de junções apertadas, que impedem o transporte molécula grande, limita a utilidade de entrega sistémica quimioterapêutico para o tratamento de gliomas malignos e outras doenças neurológicas. Aqui, apresentamos uma ferramenta para a certificação perturbação que usa rajadas de sub-microssegundos pulsos bipolares para melhorar a transferência de grandes moléculas para o cérebro. Eléctrodos de agulhas rombas foram avançados no córtex motor de ratos adultos anestesiados, e uma série de 90-900 rajadas foram entregues com voltagem para relações de distância de 250 ou 2000 V / cm, de um total de tempo programado energizado de 100 uS, e um taxa de repetição de 1 Hz. BBB rompimento foi avaliada através de um gadolínio-Evans azul albumina traçador, e foram encontradas todas as condições experimentais para causar a certificação imediatamente após a interrupção do tratamento sem induzir as contrações musculares locais ou distais. A condição de menor energia, 300 rajadas que consistem em 850 ns pulsos bipolares, resultou na interrupção BBB significativa (0,51 centímetros 3 ), sem apresentar lesão necrótica ou apoptótica de tecido neurológico.

13 de agosto de 2014

21 COISAS QUE AS PESSOAS CRIATIVAS FAZEM DIFERENTE DAS OUTRAS

Pessoas criativas pensam e agem de forma diferente que qualquer outra pessoa. Possuem uma maneira própria de enxergar o mundo e de lidar com situações que ocorrem durante sua caminhada.

Acredito que todas as pessoas têm a capacidade de criar, mas algumas se destacam por possuir uma maior facilidade. A lista a seguir mostra um pouco da perspectiva das pessoas criativas e o que elas costumam fazer e como encaram a vida.

1 – Se inspiram nas horas menos esperadas

Eles nunca sabem quando a próxima grande ideia chegará. Ela apenas chegará, da maneira menos esperada e no momento menos esperado.


2 – Eles sonham o tempo inteiro

Ele estão aqui, mas não estão. Eles podem viajar a qualquer momento durante uma conversa. É normal, não fique zangado com eles.
pessoas-criativas-2

3 – Ficam entediados facilmente

Precisam sempre de um estímulo para manterem-se ativos. Eles não irão focar naquilo que não gostam, você pode chamar de TDAH ou qualquer coisa, mas isso é apenas parte de sua genialidade.
pessoas-criativas-3

4 – Enxergam o mundo com os olhos de uma criança

Observar o mundo como uma criança pode ser, muitas vezes, a chave do sucesso.
menina

5 – Eles falharão, mas você pode ter certeza que tentarão novamente

A vida não é fácil para ninguém, nem menos para as pessoas criativas. Falhas e quedas são inevitáveis, mas somos nós que decidimos se seremos derrotados ou se utilizaremos o obstáculo para nos fortalecermos ainda mais. As pessoas criativas também são rejeitadas por diversas vezes, mas apenas tomam isso como lição.
pessoas-criativas-5

6 – Vão seguir seu coração, mesmo que, muitas vezes, sua mente diga o contrário

Dizem que as pessoas criativas são menos propensas a se preocuparem com as coisas e mais propensas a assumirem riscos. Isso pode trazer mil falhas, mas um milhão de satisfações.
pessoas-criativas-6
7 – Eles se perdem no tempo

Quando estão criando, se perdem totalmente, podendo esquecer de comer, de beber e até de dormir. Quanto as ideias estão fluindo em sua mente, nada mais importa para eles.
pessoas-criativas-7

8 – Eles trabalham enquanto você dorme, e dormem enquanto você trabalha

A inspiração vem nos momentos mais inesperados, como foi dito no número 1.
pessoas-criativas-8

9 – Onde a maioria das pessoas vê dificuldade, eles veem oportunidade

Sempre procuram ver o lado bom das coisas e se livram de problemas de maneiras incomuns
pessoas-criativas-9

10 – Eles se apaixonam por suas obras e as odeiam no dia seguinte (e vice-versa)

Às vezes, esse tipo de inconstância acontece sem um motivo realmente definido
pessoas-criativas-10

11 – São humildes e orgulhosos ao mesmo tempo

Apesar de sempre estarem dispostos a aprender, são extremamente orgulhosos e confiantes quando se trata de suas ideias e criações.
pessoas-criativas-11

12 – Estão sempre à procura de novas formas de se expressar

A busca por novidades e ideias é constante. Seja um fotógrafo, pintor, escritor, eles sempre desejarão fazer as outras de outras maneiras.
pessoas-criativas-12


13 – Eles procrastinam

Sim, eles cumprirão os prazos na maioria das vezes, mas boa parte do trabalho será realizada na noite anterior a este prazo.
pessoas-criativas-13

14 – Eles veem o outro lado da moeda

Sempre conseguem enxergar as coisas através de um ponto de vista diferente
pessoas-criativas-14

15 – Não gostam de limites

Regras e limites não são feitos para eles. Muitas das vezes são vistos como rebeldes, e temos exemplos históricos disso.
pessoas-criativas-15

16 – Não gostam de números (Não generalize, pois existem muitas exceções a regra!)

São brilhantes, mas se você pedir para que façam as contas, verá o quanto não gostam dos números
pessoas-criativas-16

17 – São grandes observadores

Observam pessoas e estão atentos até aos mínimos detalhes. Qualquer coisa pode servir de inspiração para eles.
pessoas-criativas-17

18 – Estão sempre fazendo novas experiências

Como foi dito no item 3, precisam sempre ser estimulados. E fugir da rotina é uma excelente escolha para isso.
pessoas-criativas-18
19 – Eles recomeçam tudo de novo

Não importa o quão avançados estão com uma criação, mas se sentirem que não está bom o suficiente, não pensarão duas vezes antes de descartar e começar novamente.


pessoas-criativas-19


20 - Mandam eles arrumarem um emprego “de verdade”

Os familiares e amigos dessas pessoas muitas vezes vão enxergar tudo como uma brincadeira e desejarão que elas desistam dessa “brincadeira”. Mas os criativos sempre seguirão e acreditarão em seus sonhos. (Nossa, eu já ouvi muito isso!)
pessoas-criativas-20

21 – Eles amam

Amam a vida, amam as pessoas, amam os animais, amam a beleza. O seu amor pela vida é contagiante, e se você tem alguns amigos assim, fique com eles. Eles vão fazer sua vida um pouco mais bonita
pessoas-criativas-21
Se você é criativo, com certeza irá se identificar com vários desses itens.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

MEDITAÇÃO DA LUZ DOURADA

MEDITAÇÃO DA LUZ DOURADA
Deve-se estar sentado confortável com a coluna vertebral bem direita. Começamos por inspirar profundamente pelo nariz e expiramos pela boca. Visualizamos a inspiração em energia branca e pura e a expiração levando todas as toxinas e energias negativas em névoas negras. Seguidamente concentramo-nos na energia do universo, das estrelas, dos planetas e focalizamo-nos em inspirar essa energia, preenchendo-nos completamente com ela. Sentimos o nosso corpo envolvido e preenchido com essa energia de paz e amor universal. Mantemos esta sensação durante cerca de dois minutos e depois, lentamente, pensamos somente em inspirar paz. Pensamos na paz e concentramo-nos na respiração desse sentimento, um sentimento de paz. Quando expiramos, enviamos paz também para o universo, preenchendo-o. Fazer esta respiração durante cerca de dois minutos e está-se pronto para a Meditação da Luz Dourada. Visualizamos de seguida, que inspiramos uma luz dourada. Sentimo-la a entrar para os nossos pulmões e a espalhar-se por todo o nosso corpo. Fazêmo-lo nove vezes. Passamos a respirar regularmente pelo nariz. Depois, começamos a visualizar uma linha dourada desde a base da espinha até ao topo da cabeça. Visualizamos essa linha dourada da grossura de um fio de electricidade. Fazêmo-lo nove vezes. Visualizamos então a grossura do fio dourado a aumentar lentamente até atingir a grossura de um lápis. Sentimos a luz dourada desde a ponta da espinha até ao topo da cabeça. Novamente sentimos a expansão da grossura da luz dourada até atingir a grossura de um dedo a fluir desde o topo da cabeça até à base da espinha. Agora, sentimos a luz a expandir-se para uma coluna de luz dourada que flui desde a base da espinha até o topo da cabeça. Visualizamos esta bela coluna de luz dourada a expandir-se lentamente até nos envolver completamente todo o corpo. Ficamos a sentir, pacificamente, essa luz dourada a envolver-nos. Agora, lentamente visualizamos a coluna de luz que nos envolve, a transformar-se num grande ovo de luz dourada que nos envolve completamente. Sentimos a sua paz e também a sua protecção. Tudo o que está dentro desse ovo cintila de energia, alimenta a nossa aura de energia e fortalece-a. Ficamos durante cerca de dois minutos sentindo-nos envolvidos por esse ovo de luz dourada. Depois, começamos a visualizar o encolhimento do ovo dourado. Primeiro sentindo-o voltar à forma de coluna, e depois lentamente sentimo-la encolher até à base da espinha e ao topo da cabeça. Depois sentimo-la a encolher lentamente até ficar do tamanho de um dedo, depois de um lápis, e finalmente, da grossura dum único fio dourado. Agora, sentimos a energia desse fio dourado a fluir desde a base da espinha até ao topo da cabeça e focalizamo-nos no ponto de intersecção das linhas do terceiro olho e do topo da cabeça. Respiramos por nove vezes, sentindo a energia da luz dourada nesse local da cabeça e depois, deixamos a energia fluir de novo para a boca, estômago, baixo abdómen, deixando-a dissolver-se aí lentamente. Respiramos fundo mais umas quantas vezes e sentimos toda a paz e protecção que essa luz dourada nos proporcionou. Sentimos que podemos fazer esse exercício sempre que quisermos, envolver-nos nessa luz dourada e fortalecer a nossa aura com a sua protecção e energia.

Seguidores

Follow by Email

“O que for a profundeza do teu ser, assim será teu desejo.

O que for o teu desejo, assim será tua vontade.

O que for a tua vontade, assim serão teus atos.

O que forem teus atos, assim será teu destino.”

Brihadaranyaka Upanishad

Transforme-se em ti mesmo e descubra quem você é.

Transforme-se em ti mesmo e descubra quem você é.
Seja LUZ !!!

DEIXE A TUA LUZ BRILHAR

DEIXE A TUA LUZ BRILHAR
Desperte para a regeneração da alma e do próprio corpo físico, começando por se desintoxicar daquilo que desequilibra a tua saúde física. Depure e purifique teus pensamentos, olhando mais para o Sol da verdade, do que para as nuvens da ignorância. Quem se faz luz não teme a escuridão, nem nevoeiros passageiros. Sabe que tudo que não for essencialmente divino, passa e se transmuta. Sendo assim, transmute-se!