7 de novembro de 2015

AS CORES NA COMUNICAÇÃO VISUAL

A cor é a mais emotiva das características das superfícies. A cor tranqüiliza, agride, enleva ou entristece.

Cor é luz, tanto a luz vinda de uma fonte luminosa quanto a luz que é refletida pelas superfícies dos objetos.

No primeiro caso, a cor resultante é chamada de cor-luz. No segundo caso, é denominada de cor-pigmento.

O físico Isaac Newton utilizou-se de uma pirâmide de cristal polido para analisar a luz solar. Quando colocou a pirâmide de cristal sob a luz solar, Newton observou que o cristal dispersava a luz, isto é, separava-a em várias luzes coloridas. O cristal decompôs a luz solar e Newton obteve um pequeno arco-íris.

Isto significou que a luz visível solar não é homogênea mas, sim, a soma de diversas luzes coloridas. Quando vemos a luz solar, nós vemos todas estas luzes coloridas somadas, o que resulta na luz branca.
As cores decompostas no arco-íris vão "transitando", de uma a outra, de um modo contínuo, isto é, sem “degraus” ou passagens abruptas. A luz vermelha vai se tornando gradualmente laranja e, esta, vai passando gradualmente para a luz amarela etc., como visto abaixo.


Além disso, esta é apenas uma ínfima parte do espectro eletromagnético do sol. Tanto que, como vemos na ilustração abaixo, um pouco além do comprimento das ondas luminosas vermelhas existem as ondas eletromagnéticas denominadas de infravermelhas e, um pouco aquém do comprimento das ondas violetas, temos as ondas eletromagnéticas ultravioletas.

Tanto as ondas infravermelhas quanto as ultravioletas são invisíveis para nós. Mas, a nossa televisão por exemplo, "enxerga" o infravermelho emitido pelo controle remoto.

Para efeitos de simplificação, convencionou-se destacar apenas sete cores-luz principais como as cores formadoras da luz solar branca mas, evidentemente, esta escolha foi arbitrária. As sete luzes coloridas principais são, em ordem de comprimento de onda: vermelho, laranja, amarelo, verde, ciano, azul e violeta.

Além de separar a luz do sol em suas sete componentes, Newton também descobriu que fazia sentido somar as luzes, isto é, misturá-las.

Como na ilustração abaixo, se somarmos as três cores-luz vermelha, azul e verde, nós obteremos a luz branca. Para somar as luzes, nós projetamos três refletores sobre um mesmo ponto, cada refletor projetando uma cor-luz.

Luz vermelha + luz azul + luz verde = luz BRANCA
Isto levou Newton a propor que estas três cores-luz seriam as mais importantes pois, com apenas as três, poderíamos obter a luz branca original novamente. Estas três cores-luz passaram a ser denominadas de cores-luz primárias.

Além disso, se usássemos apenas dois refletores, um com luz vermelha e outro com luz azul (como visto no nº 1, abaixo), e somássemos as suas luzes, a cor-luz resultante seria a violeta. Por outro lado, como vemos no nº 2, se somássemos uma luz azul com uma luz verde, obteríamos a cor-luz ciano. E, se somássemos uma luz vermelha com uma luz verde obteríamos a cor-luz amarela, como visto no nº 3.

Estas três cores-luz primárias, somadas em partes variáveis, podem produzir todas as outras cores-luz do espectro luminoso. Além disso, nenhuma soma de outras cores-luz produziria a cor-luz vermelha, a verde ou a azul.

Esta é chamada de mistura aditiva de cores, por ser uma soma de luzes coloridas.

Assim, como é visto na ilustração resumida, abaixo:

cor-luz violeta = vermelho + azul (nº 1)
cor-luz ciano = azul + verde (nº 2)
cor-luz amarela = vermelho + verde (nº 3)

>Como as três cores-luz violeta, ciano e amarelo são resultantes das misturas de cores-luz primárias, elas foram denominadas de cores-luz secundárias.

NNa ilustração abaixo, nós vemos estas misturas apresentados em um diagrama circular, com as três cores-luz principais nos círculos maiores, as três cores-luz secundárias nos espaços menores e, por fim, o branco no centro.




Continua na próxima...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

MEDITAÇÃO DA LUZ DOURADA

MEDITAÇÃO DA LUZ DOURADA
Deve-se estar sentado confortável com a coluna vertebral bem direita. Começamos por inspirar profundamente pelo nariz e expiramos pela boca. Visualizamos a inspiração em energia branca e pura e a expiração levando todas as toxinas e energias negativas em névoas negras. Seguidamente concentramo-nos na energia do universo, das estrelas, dos planetas e focalizamo-nos em inspirar essa energia, preenchendo-nos completamente com ela. Sentimos o nosso corpo envolvido e preenchido com essa energia de paz e amor universal. Mantemos esta sensação durante cerca de dois minutos e depois, lentamente, pensamos somente em inspirar paz. Pensamos na paz e concentramo-nos na respiração desse sentimento, um sentimento de paz. Quando expiramos, enviamos paz também para o universo, preenchendo-o. Fazer esta respiração durante cerca de dois minutos e está-se pronto para a Meditação da Luz Dourada. Visualizamos de seguida, que inspiramos uma luz dourada. Sentimo-la a entrar para os nossos pulmões e a espalhar-se por todo o nosso corpo. Fazêmo-lo nove vezes. Passamos a respirar regularmente pelo nariz. Depois, começamos a visualizar uma linha dourada desde a base da espinha até ao topo da cabeça. Visualizamos essa linha dourada da grossura de um fio de electricidade. Fazêmo-lo nove vezes. Visualizamos então a grossura do fio dourado a aumentar lentamente até atingir a grossura de um lápis. Sentimos a luz dourada desde a ponta da espinha até ao topo da cabeça. Novamente sentimos a expansão da grossura da luz dourada até atingir a grossura de um dedo a fluir desde o topo da cabeça até à base da espinha. Agora, sentimos a luz a expandir-se para uma coluna de luz dourada que flui desde a base da espinha até o topo da cabeça. Visualizamos esta bela coluna de luz dourada a expandir-se lentamente até nos envolver completamente todo o corpo. Ficamos a sentir, pacificamente, essa luz dourada a envolver-nos. Agora, lentamente visualizamos a coluna de luz que nos envolve, a transformar-se num grande ovo de luz dourada que nos envolve completamente. Sentimos a sua paz e também a sua protecção. Tudo o que está dentro desse ovo cintila de energia, alimenta a nossa aura de energia e fortalece-a. Ficamos durante cerca de dois minutos sentindo-nos envolvidos por esse ovo de luz dourada. Depois, começamos a visualizar o encolhimento do ovo dourado. Primeiro sentindo-o voltar à forma de coluna, e depois lentamente sentimo-la encolher até à base da espinha e ao topo da cabeça. Depois sentimo-la a encolher lentamente até ficar do tamanho de um dedo, depois de um lápis, e finalmente, da grossura dum único fio dourado. Agora, sentimos a energia desse fio dourado a fluir desde a base da espinha até ao topo da cabeça e focalizamo-nos no ponto de intersecção das linhas do terceiro olho e do topo da cabeça. Respiramos por nove vezes, sentindo a energia da luz dourada nesse local da cabeça e depois, deixamos a energia fluir de novo para a boca, estômago, baixo abdómen, deixando-a dissolver-se aí lentamente. Respiramos fundo mais umas quantas vezes e sentimos toda a paz e protecção que essa luz dourada nos proporcionou. Sentimos que podemos fazer esse exercício sempre que quisermos, envolver-nos nessa luz dourada e fortalecer a nossa aura com a sua protecção e energia.

Seguidores

Follow by Email

“O que for a profundeza do teu ser, assim será teu desejo.

O que for o teu desejo, assim será tua vontade.

O que for a tua vontade, assim serão teus atos.

O que forem teus atos, assim será teu destino.”

Brihadaranyaka Upanishad

Transforme-se em ti mesmo e descubra quem você é.

Transforme-se em ti mesmo e descubra quem você é.
Seja LUZ !!!

DEIXE A TUA LUZ BRILHAR

DEIXE A TUA LUZ BRILHAR
Desperte para a regeneração da alma e do próprio corpo físico, começando por se desintoxicar daquilo que desequilibra a tua saúde física. Depure e purifique teus pensamentos, olhando mais para o Sol da verdade, do que para as nuvens da ignorância. Quem se faz luz não teme a escuridão, nem nevoeiros passageiros. Sabe que tudo que não for essencialmente divino, passa e se transmuta. Sendo assim, transmute-se!